Publicada em 27/01/2018, às 15:39

Lugano acerta volta ao São Paulo como dirigente e vai "reforçar" clube no clássico

Uruguaio retorna ao Tricolor em nova função e estará no Pacaembu para o Majestoso

Lugano está de volta ao São Paulo (Foto: Erico Leonan / site oficial do SPFC)

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Diego Lugano está de volta ao São Paulo. Quase dois meses depois de fazer sua última partida como jogador, contra o Bahia, no Morumbi, o ex-zagueiro retorna ao clube como dirigente.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Ele, inclusive, vai "reforçar" o Tricolor no clássico deste sábado, às 17h, contra o Corinthians, no Pacaembu. O uruguaio vai acompanhar a delegação desde a saída do CT da Barra Funda para a partida válida pela quarta rodada do Paulistão.

A vontade do ídolo, inclusive, era ter se juntado aos tricolores para o jogo contra o Mirassol, na última quarta-feira, fora de casa. Lugano tem boa relação com o elenco, especialmente com os garotos mais jovens. Hoje, o elenco de Dorival Júnior tem 16 atletas de Cotia, sem incluir Rodrigo Caio.

Na última sexta-feira, Anderson Martins revelou ter tido contato com Lugano no São Paulo. Embora não tenha sido oficializado, ele tem atuado nos bastidores.

Em seu retorno ao Tricolor, Lugano não ficará restrito ao futebol. O clube pretende que o ídolo o represente em várias esferas. No futebol sul-americano, por exemplo, Lugano goza de prestígio em entidades como a Conmebol. Capitão da seleção uruguaia por quase uma década, ele poderá transitar nesses meios.

É um erro pensar, portanto, que Lugano fará parte da comissão técnica de Dorival Júnior. Ele irá frequentemente ao CT da Barra Funda, assistirá ao máximo possível de treinamentos e terá mais contato com jogadores do que com dirigentes do São Paulo, mas seu cargo será, assim como os de Raí e Ricardo Rocha, diretivo.

Lugano tem ótima relação com Nenê, quarto reforço para 2018 – Tréllez é o quinto. O uruguaio e o meia atuaram juntos no PSG, da França, entre meio de 2011 e fim de 2012. A relação entre eles se fortaleceu desde então. O uruguaio não negociou, mas passou referências ao São Paulo sobre o reforço. Agora, poderá ajudar em sua adaptação à equipe.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 13:59

Crônicas do Morumbi: Jardine, o ponto futuro de Dorival no São Paulo

CLIQUE AQUI e receba notícias do São Paulo direto no seu Messenger.

Dorival não caiu de fato, mas ele ainda comanda a equipe? Segue mantido único e exclusivamente pela posição de Raí, que acredita em uma evolução do trabalho. Leco queria a demissão, no entanto, perder o apoio de Raí pesou para recuar e proporcionar uma sobrevida a Dorival.



A manutenção do técnico pode ser analisada por dois ângulos opostos: uma seria pela honra, o apoio de Raí; outra, pela situação humilhante, com a permanência vinculada ao bom resultado e desempenho na próxima rodada.

Impossível mensurar até que ponto Raí tem real convicção no trabalho de Dorival. A impressão pairante é que o ídolo tricolor segurou Dorival para não deixar a imagem que rapidamente cedeu à pressão das arquibancadas.

Enquanto isso, as luzes dos corredores do Morumbi seguem se apagando à medida em que Dorival caminha. Os refletores miram Jardine, que deverá ser promovido a auxiliar técnico do time principal.



A ascensão de Jardine pela diretoria instaurará uma questão freudiana para Dorival resolver: Além de prazo para mostrar resultado, Dorival aceitará o rebaixamento de seu filho do cargo para ceder espaço ao multicampeão da base?

Como um dia Cláudio Coutinho denominou o overlapping como a possibilidade de se fazer uma jogada sem a bola; nos campos políticos dos clubes, também é é possível construir um novo cenário a partir de uma simples movimentação.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!