Publicada em 27/01/2018, às 16:14

Cruzeiro e Fred podem rescindir após desgaste com multa de R$ 10 milhões

Segundo o jornal O Tempo, cláusula cobrada pelo Atlético-MG deve ser paga pela Raposa, que ainda não quitou o débito até o momento

(Foto: Washington Alves/LightPress/Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

A multa de R$ 10 milhões cobrada pelo Atlético-MG por causa da rescisão de Fred causa grande desconforto nos bastidores do Cruzeiro. Isso porque o clube celeste se comprometeu a fazer o pagamento, mas até agora não quitou o débito.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Fred deixou o Atlético no dia 23 de dezembro e assinou com o Cruzeiro. Antes de fechar contrato, o jogador se resguardou. Ele sabia que uma cláusula firmada com o Galo garantia que, se caso assinasse com a Raposa, teria de pagar uma multa de R$ 10 milhões. Com isso, o atleta informou o valor ao time celeste e ouviu da diretoria que se tornaria o real devedor.

Na cláusula, o atacante teria de fazer o pagamento no dia seguinte a sua regularização na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Isso aconteceu no dia 16 de janeiro, entretanto, até hoje o problema não foi resolvido.

A situação causa desconforto entre Fred e a diretoria. O jogador está documentado e espera que a situação seja resolvida o quanto antes. No entanto, já existe a possibilidade do jogador deixar a Raposa. A informação foi revelada pelo jornal O Tempo e confirmada pela Gazeta Esportiva.

Fred está insatisfeito com a situação. Quando assinou com a Raposa, existiu a promessa e tudo foi colocado em contrato, que nada disso desgastaria a imagem do jogador, algo que vem acontecendo.

Em um dos documentos, Fred pediu a Raposa que a situação fosse resolvida de forma tranquila. “Diante dessa situação (da multa cobrada pelo Atlético), vossas senhorias (Wagner Pires de Sá e Itair Machado, presidente e vice do Cruzeiro) tenham interesse em prosseguir em conversas para uma possível contratação, eu gostaria de estabelecer desde logo que eu só me disporia a seguir para o Cruzeiro com o compromisso irrevogável e irretratável de que o Cruzeiro será o único responsável pelo pagamento da multa estipulada pelo Atlético, devendo me manter indene a todo momneto e nunca me colocar como obrigado por esse pagamento… Fora isso, não me agradaria a circunstância de celebrar algo no dia de hoje para entrar em um litígio amanhã. Desse modo, seria necessário para mim também que o pagamento da penalidade fosse feito sem qualquer tipo de discussão com o Atlético, por parte minha ou do Cruzeiro”, colocou em documento assinado por Fred, Wagner Pires e Itair Machado.

O Cruzeiro, no entanto, pediu mais tempo.Em conversa com a Gazeta Esportiva há mais de uma semana, o clube disse que daria um posicionamento. Nessa sexta-feira, o clube pediu novo prazo. Em contato com a assessoria de imprensa do clube, a Gazeta ouviu que, “se caso o jurídico do Cruzeiro entenda que será necessário fazer o pagamento, o Cruzeiro vai arcar”.

Pouco depois de anunciar o jogador, o vice-presidente do Cruzeiro, Itair Machado, garantiu que já tem o dinheiro para fazer o pagamento, fruto de doações de empresários cruzeirenses. Na época, a Raposa disse ainda que se não fosse fazer o pagamento o dinheiro seria destinado para outras dívidas.

Desde sua regularização junto a CBF, o jogador já fez três jogos e não marcou gols.

Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports

Publicada em 23/02/2018, às 12:05

Cruzeiro faz força-tarefa para evitar novas lesões e programa volta de Dedé

(Foto: Washington Alves/Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

Uma preparação especial para evitar novas lesões. O Cruzeiro programou uma série de treinos para fortalecer a musculatura de Dedé e impedir que o atleta volte a sofrer com problemas físicos. No sábado (24), ele deve fazer seu primeiro jogo como titular da equipe desde a recuperação.



Foi comum, sobretudo durante a pré-temporada, vê-lo treinando à parte. O zagueiro foi o único do elenco a treinar todos os dias na Toca da Raposa II. Mesmo durante as viagens do grupo, lá estava o defensor em sua rotina especial.

O foco dos trabalhos foi deixar as articulações dos joelhos mais resistentes. Nos bastidores, há muita preocupação em relação à condição física do atleta. O calvário de lesões de Dedé se iniciou em novembro de 2014. Desde então, ele fez apenas 12 partidas e acumulou problemas nos dois joelhos.

Para evitar que o jogador volte a sofrer com os problemas, Dedé foi acompanhado de perto por Sérgio Campolina, chefe do departamento médico do clube, e Emerson Polimeno, novo preparador físico da equipe. A dupla teve a incumbência de fazer o cronograma de Dedé e também de obrigá-lo a reduzir o ímpeto nas atividades.



"Essa sequência de treino foi até analisada pelos setores de fisiologia, fisioterapia e pelos médicos. Para isso, tive de fazer vários testes. Esse período todo de treinamento foi de muita evolução, me deu muita confiança. Graças a Deus estou treinando sem dor desde que comecei a fisioterapia. Tanto que fui até rápido trabalhar a parte física", declarou.
"No ano passado também estava me sentindo bem, mas tinha desequilíbrio do lado esquerdo. Aí sobrecarregou. E mesmo com o desequilíbrio no ano passado, acho que fiz bons jogos, sendo até eleito pela imprensa como melhor em campo. Mas nessa nova etapa estou me sentindo bem, diferentemente do ano passado", concluiu.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte