Publicada em 25/01/2018, às 21:01

BLOG O INTER DA AMÉRICA - A derrota não passou pela defesa

A falta de efetividade do ataque é o que preocupa

CLIQUE AQUI e receba notícias do Internacional direto no seu Messenger.

Após o Inter ser derrotado pelo Caxias por 2x1, parte da torcida já começou a reclamar do time e do técnico, e o maior alvo das criticas foi o lateral Winck que falhou no segundo gol que levamos. Mas a culpa da derrota não foi dele, do Klaus que também não acompanhou o atacante, nem da defesa em geral

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A derrota foi culpa do ataque!

Pra começar, quero dizer que o Inter jogou relativamente bem na partida, tendo controle de quase 70% de posse de bola e criou 7 chances claras de gols. Se criou 7 chances de gol, é porque o time chegou lá, trabalhou bem a bola e criou oportunidades, mas não fez. E quem não faz, leva.

O Caxias teve apenas 3 chances claras de gol pelo que lembro: o primeiro gol que foi contra, já que a bola bateu no nosso volante e entrou, e mais duas jogadas onde em uma delas fizeram o segundo gol. Se o nosso ataque tivesse feito metade dos gols que tiveram chances, teriamos vencido tranquilamente.

É necessário entender que todos jogadores em algum momento irão falhar, e a defesa quando falha, é quase certo que levamos gols, já o ataque apenas perde o gol. Precisamos cobra-los com calma e sabedoria. De nada adianta querer tirar defensor do time quando leva gol, mas permitir que o atacante perca 5 gols por jogo.

É dificil ter paciência quando perdemos, mas faz parte do processo de reconstrução do futebol colorado. Talvez até tenha sido bom, pra todos colocarem o pé no chão e voltar a entender que nossa meta agora é voltar a jogar bem, não apenas ganhar na sorte ou com gol chorado.

Mas pra mim está claro que ainda falta perna ao time, o preparo físico está muito longe do ideal e apenas com o tempo irão melhorar. Acredito que o trabalho do Odair está correto e apresentando pequenas evoluções, principalmente se comparado ao Inter de 2017. Ass coisas vão melhorar.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 09/02/2018, às 11:32

Antes de folga no Carnaval, Inter se reapresenta com treino físico

Reservas fazem trabalho sob orientações do preparador Cristiano Nunes nesta sexta-feira, no CT do Parque Gigante

CLIQUE AQUI e receba notícias do Internacional direto no seu Messenger.

Após golear o São José por 4 a 0 e convencer a torcida com uma atuação sólida no Beira-Rio, o Inter se reapresentou para treinamentos nesta sexta-feira pela manhã. Sem a presença dos titulares, que realizaram atividades regenerativas, os reservas foram a campo para participar de um trabalho físico aos cuidados do preparador Cristiano Nunes no CT do Parque Gigante. O treino é o último antes dos dois dias de folga de Carnaval, no sábado e no domingo.



Em processo de retreinamento após se recuperar de uma contusão no joelho esquerdo, Uendel participou normalmente do treinamento. A tendência, assim, é de que o lateral-esquerdo fique à disposição para encarar o Juventude na próxima quinta-feira, no Beira-Rio. Ainda sem estrear pelo Inter, Wellington Silva ficou fora da atividade, assim como Nico López, que segue a recuperação de uma gastroenterite.

Sob forte sol e calor à beira do Guaíba, os colorados realizaram corridas e alguns tiros de maior intensidade no gramado, com Cristiano Nunes sempre aos gritos para repassar as orientações aos atletas. O técnico Odair Hellmann apenas observou a movimentação, do lado de fora do gramado.

Após o treino desta sexta-feira, os colorados têm o fim de semana de folga e se reapresentam para trabalhos na segunda-feira. O Inter volta a campo na próxima quinta-feira, às 19h15, quando enfrenta o Juventude, no Beira-Rio, pela 7ª rodada do Gauchão.



Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte