Publicada em 24/01/2018, às 18:57

Com time alternativo, Vasco perde para a Cabofriense fora de casa

Cruz-Maltino decidiu poupar os principais jogadores nesta quarta-feira em jogo válido pelo Campeonato Carioca de olho na estreia na Conmebol Libertadores na semana que vem

(Foto: Divulgação)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

Sem os principais jogadores por decisão da comissão técnica por poupar os titulares por conta da estreia na Conmebol Libertadores na semana que vem, o Vasco foi até Bacaxá na tarde desta quarta-feira e foi derrotado pela Cabofriense por 2 a 1. Os gols foram marcados por Victor Silva e Levi para os mandates, enquanto o Cruz-Maltino teve o gol marcado por Nenê. A partida foi válida pela terceira rodada da Taça Guanabara, turno do Campeonato Carioca.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





ESTREIAS

De olho na Conmebol Libertadores na próxima semana, o Vasco colocou em campo nesta quarta-feira um time alternativo. Várias estreias, com isso, foram promovidas pelo técnico Zé Ricardo. Nomes como Rafael França e Marrony, crias da base, entraram em campo pelo profissional pela primeira vez. Rildo também estreou no time cruz-maltino.

FALTA DE ENTROSAMENTO

Justamente por ter colocado um time alternativo, ainda mais sendo em início de temporada, o Vasco sofreu pela falta de entrosamento. Com o calor na região de Bacaxá, isso ficou ainda mais prejudicado. Mandantes da partida, os atletas da Cabofriense souberam aproveitar essas oportunidades, recaindo apenas no contra-ataque.

TRAVE SALVA NA PRIMEIRA CHEGADA DO VASCO

Aos nove minutos do primeiro tempo, o Vasco chegou pela primeira vez com perigo e se não fosse a trave, o placar teria sido aberto. Caio Monteiro, titular no ataque, conseguiu avançar pelo meio e achou Rildo, um dos estreantes. Nenê recebeu do atacante e mandou para o gol defendido por George. O arqueiro da Cabofriense não evitaria se a bola não tivesse batido na trave.

FALHA DE FÉLIX E GOL DA CABOFRIENSE

Gabriel Félix entrou em campo nesta quarta-feira substituindo Martin Silva, poupado. Aos 34 minutos, porém, falhou feio e a Cabofriense acabou abrindo o marcador. Após Paulo Sérgio cobrar falta com efeito, Victor Silva aproveitou a falha do arqueiro do Vasco e estufou as redes, Cabofriense 1 x 0 Vasco.

PÊNALTI PARA O VASCO E EMPATE

Atrás do marcador, o Vasco voltou para o segundo tempo se movimentando mais em busca do empate. Aos três minutos, Levi derrubou Nenê na grande área e o árbitro Rodrigo Nunes de Sá assinalou a penalidade. Dois minutos mais tarde, o próprio Nenê foi para a cobrança e converteu para a festa da torcida cruz-maltina, Cabofriense 1 x 1 Vasco.

PRESSÃO FINAL E VOLTA POR CIMA

Os minutos finais da partida foram de pressão da Cabofriense na busca dos três pontos. Gabriel Félix teve muito trabalho na pressão e aos 45 minutos conseguiram o gol da vitória. Autor do pênalti convertido por Nenê, Levi acertou um belo chute de longe e foi comemorar. Bonito gol que foi um balde de água fria para os vascaínos, Cabofriense 2 x 1 Vasco.

NA TABELA

Com o resultado, no grupo B da Taça Guanabara, o Vasco fica nos três pontos, na quarta colocação do turno do Campeonato Carioca. A Cabofriense sobe para o terceiro lugar, com quatro pontos. As equipes voltam a campo no fim de semana. Sábado, o Cruz-Maltino enfrenta o Flamengo no Maracanã. Já a Cabofriense, na segunda-feira, visita o Volta Redonda no Raulino de Oliveira.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em 23/02/2018, às 13:47

Zé Ricardo recebe proposta tentadora do Al-Ahli e pode deixar o Vasco

CLIQUE AQUI e receba notícias do Vasco direto no seu Messenger.

O técnico Zé Ricardo pode deixar o Vasco. O comandante recebeu uma proposta tentadora do Al-Ahli, dos Emirados Árabes, e terá uma conversa definitiva com a diretoria. Os valores estão muito acima do que o Cruzmaltino pode pagar.



O contrato seria de R$ 23 milhões por três anos. No Vasco, o treinador recebe salário de cerca de R$ 170 mil, consideravelmente inferior ao que foi oferecido pelo Ah-Ahli.

A conversa é para um aumento salarial e ampliação do vínculo até dezembro de 2019. Zé Ricardo, desta forma, passaria a receber vencimentos na casa de R$ 250 mil, ainda bem abaixo do que os árabes acenam.

O Vasco mostrará ao profissional a sua importância no processo de reestruturação do futebol do clube e afirmará que a continuidade em São Januário é fundamental para o projeto idealizado pela nova direção.



Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte