Publicada em 24/01/2018, às 10:13

Com terceira dupla de zaga no ano, Cruzeiro tenta repetir feito de 1995

Caso não seja vazado diante do Uberlândia, time vai chegar à marca de três jogos consecutivos sem levar gols, o que não ocorre num início de temporada há 22 anos

Murilo volta à zaga titular e fará dupla com Manoel (Foto: Gabriel Duarte)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

A zaga - única posição em que o Cruzeiro não se reforçou para 2018 -, assim como todo o sistema defensivo do time, tem chamado a atenção neste início de temporada. São dois jogos e nenhum gol sofrido. Se mantiver o bom desempenho no próximo duelo e não ser vazado, mais uma vez, o clube vai igualar a marca conquistada em 1995, quando a equipe ficou três partidas oficiais consecutivas, no início do ano, sem levar gols (veja na tabela abaixo). O adversário da vez será o Uberlândia, nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), pela terceira rodada do Campeonato Mineiro.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





Última maior sequência sem ser vazado num início de temporada

05/02/1995 - Cruzeiro 0 x 0 Tupi - Campeonato Mineiro
12/02/1995 - Democrata-SL 0 x 3 Cruzeiro - Campeonato Mineiro
15/02/1995 - Cruzeiro 4 x 0 Rio Branco - Campeonato Mineiro

Além deste ano, os outros em que o Cruzeiro conseguiu ficar dois jogos seguidos sem sofrer gols num início de temporada foram em 1996, 2002, 2005, 2006, 2011 e 2014. Porém, em todos esses, na terceira partida, o time acabou sendo vazado. Para o zagueiro Léo, que foi titular em ambos os duelos (2 a 0 diante do Tupi e 0 a 0 contra a Caldense) de 2018, o bom momento do sistema defensivo é fundamental para dar mais confiança a toda a equipe.

- A gente sempre tenta se dedicar ao máximo nos treinos. No treino, você explora mais, arrisca mais, para que as coisas aconteçam mais naturalmente na hora do jogo. Na partida, você tem mais responsabilidades, tem que transmitir um pouco mais de segurança. Esse é o nosso papel e que a gente busca sempre na parte defensiva, nós, como também os laterais, os volantes, para que podemos ter segurança dentro de campo. Graças a Deus, nos últimos jogos têm acontecido isso. Não temos tomado gols. Isso é importante para dar mais segurança e confiança também para o ataque criar suas jogadas, arriscar mais e fazer até o gol.

"Nova" dupla

O interessante é que em nenhuma dessas partidas no início deste ano, o Cruzeiro repetiu a zaga. Na vitória contra o Tupi, Léo e Murilo - dupla campeã da Copa do Brasil de 2017 - foram titulares. Já diante da Caldense, Léo atuou ao lado de Manoel. Tudo indica que, nesta quarta-feira, mais um vez, o Cruzeiro terá uma nova formação defensiva. Como pôde ser observado no treino, Murilo deve jogar com Manoel. Além desses jogadores, o técnico Mano Menezes também tem à disposição, para a posição: Digão e o jovem Arthur, de 18 anos.

Léo e Murilo formaram a zaga titular campeã da Copa do Brasil (Foto: Thaynara Amaral)



A última vez em que o Cruzeiro conseguiu ficar sem levar gols em duas partidas consecutivas, independentemente do momento do ano, foi em agosto. À época, o time de Mano Menezes venceu o Sport, por 1 a 0, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro, e triunfou diante do Grêmio, pelo mesmo placar, na semifinal da Copa do Brasil. Já três jogos consecutivos sem ser vazado foi em setembro, quando empatou com o Vitória, por 0 a 0, bateu o Vasco por 3 a 0 e ficou na igualdade, por 0 a 0 contra o Botafogo, pela 17ª, 18ª e 19ª rodada do Brasileirão, respectivamente.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 23/02/2018, às 12:05

Cruzeiro faz força-tarefa para evitar novas lesões e programa volta de Dedé

(Foto: Washington Alves/Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

Uma preparação especial para evitar novas lesões. O Cruzeiro programou uma série de treinos para fortalecer a musculatura de Dedé e impedir que o atleta volte a sofrer com problemas físicos. No sábado (24), ele deve fazer seu primeiro jogo como titular da equipe desde a recuperação.



Foi comum, sobretudo durante a pré-temporada, vê-lo treinando à parte. O zagueiro foi o único do elenco a treinar todos os dias na Toca da Raposa II. Mesmo durante as viagens do grupo, lá estava o defensor em sua rotina especial.

O foco dos trabalhos foi deixar as articulações dos joelhos mais resistentes. Nos bastidores, há muita preocupação em relação à condição física do atleta. O calvário de lesões de Dedé se iniciou em novembro de 2014. Desde então, ele fez apenas 12 partidas e acumulou problemas nos dois joelhos.

Para evitar que o jogador volte a sofrer com os problemas, Dedé foi acompanhado de perto por Sérgio Campolina, chefe do departamento médico do clube, e Emerson Polimeno, novo preparador físico da equipe. A dupla teve a incumbência de fazer o cronograma de Dedé e também de obrigá-lo a reduzir o ímpeto nas atividades.



"Essa sequência de treino foi até analisada pelos setores de fisiologia, fisioterapia e pelos médicos. Para isso, tive de fazer vários testes. Esse período todo de treinamento foi de muita evolução, me deu muita confiança. Graças a Deus estou treinando sem dor desde que comecei a fisioterapia. Tanto que fui até rápido trabalhar a parte física", declarou.
"No ano passado também estava me sentindo bem, mas tinha desequilíbrio do lado esquerdo. Aí sobrecarregou. E mesmo com o desequilíbrio no ano passado, acho que fiz bons jogos, sendo até eleito pela imprensa como melhor em campo. Mas nessa nova etapa estou me sentindo bem, diferentemente do ano passado", concluiu.

Conteúdo publicado originalmente no site UOL Esporte