Publicada em 23/01/2018, às 12:09

A condição que pode salvar o Cruzeiro de perder Thiago Neves para clube do exterior

Al-Hilal, da Arábia Saudita, enviará proposta oficial à Raposa nesta terça-feira (23) pela contratação do meia

(Foto: Foto Arena)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

A mesa do presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, receberá nesta terça-feira (23 de janeiro) um importante papel. Não se trata de nenhum pagamento para devedor ou recebimento por vendas. Será a proposta oficial do Al-Hilal, da Arábia Saudita, para ter Thiago Neves em seu elenco. E para manter o atleta, a Raposa terá que colocar seu dinheiro na jogada.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





A Gazeta Esportiva apurou que a proposta é tentadora para o jogador. O empresário do atleta, Leandro Lima, desembarca em Belo Horizonte nesta terça-feira e caminhará direto para a sede do clube onde as partes vão se reunir para definir o futuro do meia.

Até agora o Cruzeiro fez grandes investimentos. Buscou Fred para ser o homem do ataque azul, manteve boa parte de seu elenco e contratou outras peças. Tudo isso para conseguir uma grande conquista em 2018. Em parte disso está a importância de Thiago Neves.

Porém, os números que chegam com Leandro Lima em um papel que contem a proposta pelo camisa 30 são elevados. Para a realidade do futebol brasileiro, algo diferente.

Diante disso, o Cruzeiro terá de valorizar Thiago Neves. Isso quer dizer que o jogador que tem um dos maiores salários da Raposa terá de receber um aumento para permanecer em Belo Horizonte. Embora tenha vencimentos altos, Neves recebe menos, por exemplo, que o atacante Fred.

Thiago Neves chegou ao Cruzeiro no início de 2017. Ao desembarcar em Confins, ele prometeu uma meta de 20 gols e 15 assistências. Ele chegou próximo, marcou 17 vezes e serviu aos companheiros em 14 oportunidades. Ele foi peça principal para a conquista da Copa do Brasil.

Para 2018, Thiago evitou estabelecer uma meta e preferiu colocar como objetivo a conquista de um grande título.

Conteúdo publicado originalmente no site Fox Sports

Publicada em 21/02/2018, às 15:27

Para vice-presidente de futebol do Cruzeiro, multa de Fred é "piada"

Itair Machado considera ilegal a cobrança de R$ 10 milhões feita pelo Atlético-MG, por causa da ida do camisa 9 para o Cruzeiro. O dirigente entende que Raposa não deve pagar

Diretor de futebol, Itair Machado fala sobre multa de Fred (Foto: Divulgação / Cruzeiro)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Cruzeiro direto no seu Messenger.

O caso Fred, envolvendo o Atlético-MG e o Cruzeiro, ainda está dando pano para manga. Há dois meses o atacante rescindiu o contrato com o Alvinegro para assinar com a equipe celeste. A troca de clube gerou uma dívida de R$ 10 milhões, por causa de uma cláusula no contrato do camisa 9. De dezembro para cá, o Galo cobra o montante, que deveria ter sigo pago no dia 17 de janeiro, mas o departamento jurídico da Raposa ainda está avaliando o processo.



Nesta quarta-feira, o site Uol publicou uma entrevista com o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado. O dirigente classificou a multa como "piada" e considerou a cobrança feita pelo Atlético-MG ilegal. Vale lembrar que o presidente da Raposa, Wagner Pires de Sá garantiu, mês passado, que acertaria a dívida.

- Essa contratação nunca é bem explicada. Eu sempre tive um bom relacionamento com o Fred e com o Francis, que é o procurador. Quando fiquei sabendo que teria a rescisão, eu liguei e marcamos. Aí ele falou: 'olha, tem uma multa de R$ 10 milhões.' Na hora eu falei: 'Olha, essa multa é piada'. A gente entende que consegue não pagar na Justiça - disse o dirigente do Cruzeiro em entrevista publicada no site Uol nesta quarta-feira.

O Atlético-MG já ingressou com uma ação na Câmara Nacional de Resolução de Disputas, da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), cobrando de Fred o pagamento da multa de R$ 10 milhões. Itair Machado destacou que caso o clube seja obrigado a pagar, o valor não será destinado ao rival, mas à empresa WRV que cobra uma dívida antiga do Atlético-MG.



- Para o jogador ficar tranquilo, demos um documento que, se tiver que pagar, o Cruzeiro paga. Quando a Justiça falar que temos que pagar, o Cruzeiro vai pagar, mas não ao Atlético Mineiro. O Cruzeiro vai pagar para o credor que já intimou o Cruzeiro. Eu, Itair, entendo que a multa é ilegal. A Justiça ou a CBF, alguém vai mostrar que isso é ilegal - afirmou o vice-presidente de futebol.

O caso será julgado na Câmara de Resolução de Disputas por cinco juristas: Vitor Butruce, presidente e representante da CBF; Luiz Guilherme Pires Barbosa, indicado pelos clubes; Liselaine Marques de Castro Rosa (atletas); Luiz Fernando Pimenta Ribeiro (intermediários); e Guilherme Guimarães (técnicos), segundo dados da site da CBF.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!