Publicada em 21/01/2018, às 20:54

Oswaldo explica demora nas trocas, elogia Rithely e se esquiva sobre meia argentino

Treinador fez primeira substituição no time que venceu o Democrata apenas aos 36 minutos do segundo tempo; sobre volante do Sport: "Seria muito bem-vindo"

Oswaldo gosta muito do futebol de Rithely, com quem trabalhou no Sport (Foto: Marlon Costa/ Pernambuco Press)

CLIQUE AQUI e receba notícias do Atlético direto no seu Messenger.

Os titulares do Atlético-MG estrearam na temporada neste domingo, contra o Democrata, no Independência. Em 18 minutos, o Galo marcou três gols e resolveu o jogo - que terminou 3 a 0. Manteve um ritmo intenso até o fim do primeiro tempo, mas diminuiu a intensidade na etapa final. Tudo indicava que Oswaldo de Oliveira mexeria rapidamente na equipe para diminuir o desgaste de alguns jogadores, mas ele fez o oposto: mexeu no time só aos 36 minutos do segundo tempo. Na entrevista coletiva após a partida, ele explicou o motivo.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





- A ideia era dar mais lastro (físico) a alguns jogadores. A escolha pelo Arouca e pelo Elias para saírem (entraram Yago e Blanco aos 36 do segundo tempo): o Elias tinha um cartão, e o Arouca é o jogador com mais tempo sem jogar, precisa de um pouco mais de cuidado. Não quis arriscar. A ideia com o Ricardo (Oliveira), Róger (Guedes), Samuel (Xavier) era de dar continuidade, para que eles se condicionem.

Sobre o jogo, o técnico comemorou o resultado expressivo, mas ressaltou que ainda há muito a evoluir.

- Estamos iniciando um trabalho. É lógico que vencer por 3 a 0, fazer três gols em 20 minutos foi muito bom, é muito proveitoso, aumenta confiança, aumenta a motivação. Mas nós temos que seguir trabalhando. É um passo muito importante no trabalho. Temos que dar continuidade, procurar melhorar, procurar tornar a equipe cada vez mais eficiente em todos os detalhes do jogo. Defendendo, atacando, as transições. É um início de trabalho, e temos que nos esforçar bastante para que a coisa corra bem.

Possíveis reforços

Dois nomes de possíveis reforços do Atlético-MG foram usados pelos jornalistas em perguntas para Oswaldo de Oliveira. Primeiro, sobre Rithely - jogador que comandou no Sport -, o técnico fez elogios, mas disfarçou sobre a possibilidade de fechamento do negócio. O Galo mantém conversas com o clube pernambucano há um tempo e tem interesse no atleta.

- Quem andou muito próximo do Rithely foi o Internacional. Não sei como andam as coisas ultimamente. É um jogador que gosto muito, seria muito bem-vindo ao Galo, mas isso não tem nada de decisivo. É uma situação que está no ar.

Outro nome muito especulado nos últimos dias é o do meia Tomás Andrade, do River Plate, da Argentina. O jogador está disponível para empréstimo e pode parar no Atlético-MG. Sobre ele, a postura de Oswaldo foi de esquiva. Não quis falar sobre o jogador.

- Eu já falei isso aqui ano passado: uma vez tive uma experiência dura com isso. De anunciar antes o jogador. Isso é ruim, danifica a negociação, chama atenção de outrem. Prefiro ficar quieto, não vou citar nome. O dia que colocar a camisa do Galo, aí a gente fala para caramba.

Confira outras respostas do treinador

Avaliação dos estreantes

- Aqui existe uma expectativa muito grande, mas são jogadores que conheço bem, sei a capacidade deles, acho que vão melhorar gradativamente à medida que se condicionem mais. Não tem o que avaliar agora, tem que dar continuidade para que eles se condicionem bem, se relacionem bem dentro do campo. Por isso o tempo que procurei mantê-los juntos jogando.

Queda de intensidade no segundo tempo

- Até o placar acaba interferindo. Notório que no segundo tempo perdemos mais passes, a equipe ficou mais morosa. Quero ressaltar uma coisa: o Democrata começou bem o jogo. Marcando bem, impedindo jogadas principais da nossa equipe. Nossa equipe foi suficientemente eficiente para fazer os gols. Mas, naquele momento, com uma dificuldade bem grande imposta pelo adversário.

Aniversário do goleiro Victor (35 anos)

- Teve muita brincadeira, isso é muito legal. Inclusive o Domênico (Bhering, diretor de comunicação) falou que ele estava fazendo 40 anos, que é muito experiente. Foi bacana, é um cara que merece. O pouco tempo que tenho de relacionamento com ele demonstra um alto nível de profissionalismo, de atenção, experiência. Ele, o Léo (Silva), Elias, Fábio (Santos). São jogadores importantíssimos nesse aspecto.

Já deu para notar um time mais rápido e intenso?

- A gente tem que esperar um pouco, deixando as coisas passarem mais. Acho que é precoce qualquer definição, qualquer análise mais definitiva. Nossa proposta é essa: ter um time rápido, insinuante, agressivo. É o que vamos procurar desenvolver.

Atuação da torcida (mais de 20 mil presentes no Horto)

- Acho ótimo, gostei muito. Os torcedores participaram muito, gritaram muito com nossos gols. Minha expectativa é que isso se torne uma rotina. Acho que a iniciativa da diretoria (pacote promocional de intessos) foi ótima. Tomara que continue assim.

É um dos seus objetivos recuperar a força do Galo no Horto?

- Sem dúvida, claro que sim, não posso dizer que não. Nossa intenção de ganhar jogos é aqui, fora, em qualquer lugar vamos jogar para vencer as partidas. Mas aqui é muito importante criar esse ambiente, atmosfera vitoriosa, essa confiança que sai de fora do campo para dentro.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte

Publicada em 22/02/2018, às 21:07

Como estão indo os reforços mais badalados para 2018? Veja raio x

Titular? Reserva? Fazendo gols? Confira o que andam fazendo as contratações dos clubes



O mercado da bola foi movimentado e muitas negociações de impacto fora seladas para 2018. Mas como andam hoje os principais reforços dos times brasileiros? Muitos já são titulares nos seus novos times e estão "voando". Outros ainda estão em busca de espaço. Confira situações.



Henrique chegou ao Corinthians e já encontrou espaço no time titular. O zagueiro já tem dois jogos pelo Timão, porém a equipe foi vazada em ambos os duelos e ainda não venceu com ele em campo (1 a 0 para o São Bento e 1 a 1 diante do Red Bull Brasil).

Emerson Sheik ainda não foi titular desde que retornou ao Corinthians. São três jogos e nenhum gol ou assistência ainda. Ele entrou no segundo tempo dos três duelos.

Júnior Dutra chegou e conquistou seu espaço. Reserva nos dois primeiros jogos do Paulistão, ele marcou no segundo duelo (goleada por 4 a 0 sobre o São Caetano) e não demorou para virar titular. Ele esteve em campo nos oito jogos no Paulista, sendo titular em cinco oportunidades.



Lucas Lima chegou com tudo no Palmeiras. Oito jogos (todos como titular), um gol e três assistências. Tudo isso invicto - com seis vitórias e dois empates.

Gustavo Scarpa ainda está buscando seu espaço no Palmeiras. São três jogos, todos saindo do banco, sem gol ou assistência.

Marcos Rocha começou bem pelo Palmeiras. Titular em sete jogos e dono de quatro assistências.

Gabigol está iluminado em seu retorno ao Santos. Três jogos, todos como titular, e três gols - um em cada duelo. O último garantiu vitória no clássico sobre o São Paulo, no Morumbi.

Eduardo Sasha também está brilhando no Santos. O atacante tem sete jogos, dois gols e uma assistência. Ele ganhou vaga como titular em sua quarta partida e não perdeu mais o lugar.

Diego Souza já fez nove jogos pelo São Paulo, oito deles como titular. São dois gols pelo Tricolor, mas o meia-atacante ainda não solucionou os problemas do Tricolor no setor ofensivo.

Nenê chegou ao São Paulo e tornou-se titular, com cinco jogos disputados - todos entre os 11 principais. O meia já tem dois gols pelo Tricolor.

Anderson Martins começou com moral no São Paulo, sendo titular por três jogos - seus três únicos pelo Tricolor até aqui. Depois ele sentiu desconforto muscular na coxa esquerda e uma mialgia na região dorsal.

O meia Luiz Fernando foi titular em todos os sete jogos do Botafogo na temporada, mas ainda não balançou a rede pelo Glorioso.

Kieza está buscando seu espaço no Botafogo aos poucos. O atacante tem três jogos, todos saindo do banco, e um gol - em revés para o Flamengo por 3 a 1 na semifinal da Taça Guanabara.

Henrique Dourado chegou ao Flamengo com muita moral e em alta. Três jogos, todos como titular, e dois gols.

Já o atacante Marlos Moreno está procurando espaço. São apenas dois jogos - e saindo do banco no segundo tempo - e outros dois duelos como opção no banco, ainda sem gol marcado.

Jadson chegou bem ao Fluminense, logo conquistando vaga no time titular. O volante já tem seis jogos pelo Tricolor - todos entre os 11 principais.

O lateral-direito Gilberto já é peça importante no Fluminense: seis jogos, todos como titular, e dois gols marcados - ambos na partida contra o Salgueiro, goleada por 5 a 0 pela Copa do Brasil.

O volante argentino Desábato está em alta no Vasco. São sete jogos e lugar no time titular.

Rildo tem sido reserva neste começo de temporada no Vasco, mas sendo muito utilizado no segundo tempo das partidas. São seis jogos pelo clube (três deles pela Libertadores, saindo do banco) e dois gols.

Fred já tem sete jogos desde que voltou ao Cruzeiro. O atacante fez apenas um gol, mas tem "compensado" com participações em gols e fazendo trabalho de pivô.

O volante Bruno Silva tem quatro jogos na temporada, mas apenas dois como titular - e três como reserva não utilizado.

Roger tem variado entre jogos como titular e reserva. Já são seis jogos pelo Internacional, quatro como titular, e dois gols marcados - ambos em vitória por 3 a 0 sobre o Avenida.

Wellington Silva está buscando espaço no seu começo pelo Internacional. São dois jogos, ambos entrando no segundo tempo, e um como reserva não utilizado.

O lateral-direito Madson tem cinco jogos pelo Grêmio, todos como titular de time alternativo que vinha disputando o Campeonato Gaúcho.

O meia Alisson conseguiu lugar entre os titulares no Grêmio. São oito jogos pelo Imortal, três entre os 11 principais, e um gol marcado.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!