Publicada em 20/01/2018, às 19:08

Cadê o ataque? Flu e Botafogo não saem do zero no Maracanã

No primeiro Clássico Vovô do ano, Tricolor, de Abel Braga, e Alvinegro, de Felipe Conceição, empatam em jogo marcado pela baixa produção dos ataques

(Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Lancepress!)



O empate sem gols entre Fluminense e Botafogo, neste sábado no Maracanã, foi justo, mas não deixou nenhuma das torcidas satisfeitas. Afinal, os times ainda não venceram em 2018, Mais do que isso, as apresentações deixaram claro que Abel Braga e Felipe Conceição terão muito trabalho pela frente.

CONTINUA DEPOIS DOS ANÚNCIOS





O Fluminense volta a campo na próxima quarta-feira. Às 21h45, o Tricolor enfrenta a Portuguesa pela terceira rodada da Taça Guanabara. Ainda pelo Grupo B, o Botafogo joga contra o Macaé na quinta-feira, às 19h30.

DEDO DO TREINADOR

O Botafogo enfrentou seu primeiro grande desafio sob o comando de Felipe Conceição e já foi possível detectar mudanças na equipe em relação a 2017 - especialmente na primeira etapa. O Alvinegro mostrou-se mais à vontade com a bola nos pés, tendo o controle do jogo e atuando no campo de defesa do Flu.

Como prometido pelo substituto de Jair Ventura, o Botafogo de 2018 deu mostras que não será uma equipe tão reativa quanto a do ano passado. Enquanto os jogadores "tiveram pernas", a marcação alta deu certo, criando problemas na saída de bola do Tricolor. Foi assim que a melhor chance do primeiro tempo surgiu, mas João Paulo cabeceou rente à trave de Júlio César.

INSATISFAÇÃO TOTAL

Antes da bola rolar, tricolores protestaram, dentro e fora do Maraca, contra a diretoria. O principal alvo dos torcedores foi o presidente Pedro Abad.

Com o início do jogo, a torcida não teve muitos motivos para comemorar. A nova equipe de Abel, com três zagueiros, ainda precisa evoluir muito. O Botafogo encontrou espaço pelas laterais e o ataque tricolor foi pouco produtivo. Quando chegou com perigo, Jefferson, goleiro rival, mostrou boa forma e evitou o gol. O apito final veio junto com as vaias.

A POLÊMICA

O Fluminense voltou do intervalo com outra postura e logo produziu mais do que em toda primeira etapa. Aos sete minutos, Ibañez balançou a rede após escanteio cobrado por Sornoza, mas o auxiliar indicou falta antes do chute e o árbitro anulou o gol.

QUE FALTA FAZ UM 9!

A surpresa do clássico foi a ausência de Henrique Dourado. Sem relacionar o Ceifador, Abel Braga apostou em Pedro. O jovem tentou duas finalizações, mas não teve sucesso.

O Botafogo, por sua vez, ainda não repôs a saída de Roger, titular em 2017, e foi com Brenner no comando de ataque. Além de não ameaçar a meta rival, o centroavante ficou algumas vezes impedido.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 0X0 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-hora: 20/1/2018, ás 17h
Árbitro: Pathrice Wallace Correa Maia (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Corrêa (RJ) e Carlos Henrique Alves Filho (RJ)
Renda/Público: R$ 220.510,00 - 8.538 presentes / 7.126 pagantes

Gols: Não houve.

Cartão amarelo: Ibañez, Marcos Júnior e Douglas (FLU); Igor Rabello, Matheus Fernandes, Rodrigo Lindoso e João Paulo (BOT)
Cartão vermelho: Não houve.

FLUMINENSE: Júlio César; Renato Chaves (Matheus Alessandro, 31'/2ºT), Gum e Ibañez; Gilberto, Douglas, Sornoza, Jádson e Marlon (Ayrton, 27'/2ºT); Marcos Júnior (Robinho, 31'/2ºT) e Pedro - T: Abel Braga

BOTAFOGO: Jefferson; Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello e Gilson; Matheus Fernandes, João Paulo e Léo Valencia (Rodrigo Lindoso, 10'/2ºT); Luiz Fernando (Leandro Carvalho, 29'/2ºT), Rodrigo Pimpão (Ezequiel, 25'/2ºT) e Brenner - T: Felipe Conceição

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!

Publicada em , às