Publicada em 29/12/2017, às 11:41

De férias no interior, zagueiro não se arrepende de gesto contra o Corinthians

De férias no interior, zagueiro não se arrepende de gesto contra o Corinthians

De férias, Rodrigo Caio faz balanço de 2017 e fala sobre 2018 (Foto: Reprodução / TV Fronteira)

Após uma temporada em que aconteceu praticamente de tudo, Rodrigo Caio passa férias de fim de ano com a família em Dracena, no interior paulista – a cerca de 650km da capital. Na prosa interiorana, os destaques foram os altos e baixos do São Paulo, o adversário na Sul-Americana do ano que vem, o sonho de disputar a Copa do Mundo e, claro, a polêmica do gesto de fair-play que tirou o cartão amarelo de Jô, do Corinthians, na semifinal do Campeonato Paulista.

O zagueiro confessou ao árbitro Luiz Flávio de Oliveira ter sido o autor de um pisão – involuntário, claro – na perna do goleiro Renan Ribeiro. Jô, que dividiu o lance com ele, se livrou da suspensão pelo terceiro amarelo e, no segundo jogo, fez o gol do empate por 1 a 1, em Itaquera.

Rodrigo Caio não esperava tamanha repercussão e diz não crucificar quem pensa e interpreta de forma contrária à sua atitude, mas afirma estar convencido de que tomou a melhor decisão. Questionado se faria de novo, ele respondeu, sem pestanejar:



– Sim. Não me arrependo. Foi algo natural. O que eu fiz não é mérito nenhum, tem que ser obrigação. Tenho que ser justo e leal da melhor forma. Procuro ser assim jogando e na minha vida. Acho que é o mais importante. Claro que eu erro, todos erramos, sou humano. Mas procuro ser justo com as pessoas e leal comigo mesmo.

Rodrigo Caio também falou sobre outros assuntos. Leia abaixo:



Rosário Central
Fora da Libertadores, o Tricolor buscará em 2018 o bicampeonato da Copa Sul-Americana. Em 2012, essa foi a única conquista do clube nos últimos nove anos. Logo na primeira fase, o adversário será o Rosário Central, da Argentina. Rodrigo Caio pede atenção redobrada, motivada pela eliminação de 2017, ainda na primeira fase, diante de outro argentino, o Defensa y Justicia.




– Jogar contra um argentino é sempre muito difícil, sabemos da rivalidade. Eu assisti à Libertadores de 2016, quando o Rosário jogou contra o Palmeiras, e vi que é um excelente time, com qualidade. Não sei como estarão para a próxima temporada, mas acredito que virão com toda vontade de vencer, principalmente sabendo da grandeza do São Paulo em copas internacionais. Ser eliminado como fomos neste ano foi uma vergonha, e não podemos passar por essa situação de novo.

Para esquecer
Rodrigo Caio também fez um balanço de 2017, classificado por ele como um ano para esquecer e um dos piores da história do São Paulo. Entretanto, o atleta destacou a arrancada do time no segundo turno do Brasileiro, que serve de motivação para a próxima temporada.


– Tivemos três eliminações no começo do ano e, assim, passamos a viver com essa pressão. Conseguimos a recuperação no segundo turno do Brasileiro, conseguindo ser uma das melhores equipes em número de pontos. Ficamos com o gostinho de que, se tivéssemos acordado um pouco antes, daria para ter brigado por algo a mais.

Seleção
Com algumas vagas para a Copa do Mundo ainda abertas, entre elas uma de zagueiro, Rodrigo Caio não esconde o grande desejo de conquistar um espaço na lista final de Tite.

– Acho que é meu maior sonho. Acredito ser a realização de todo jogador. Temos bons zagueiros aqui e lá fora. A concorrência será grande até o final. Mas acredito também ter condições e, para isso, preciso estar trabalhando, jogando em alto nível. Espero voltar muito bem neste começo de ano e ajudar minha equipe nas competições que teremos. Com isso, a vaga ficará mais perto.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte