Publicada em 28/12/2017, às 12:47

Em ano de desafios, Mano está a sete jogos de superar Luxemburgo no Cruzeiro

Técnico fica perto de ultrapassar comandante da Tríplice Coroa em número de jogos pela Raposa

Mano Menezes está escrevendo história vitoriosa no Cruzeiro (Foto: Gabriel Duarte)

Mano Menezes terminou 2017 com motivos para sorrir e tem tudo para iniciar o próximo ano da mesma forma. Campeão da Copa do Brasil, o técnico ganhou de presente de Natal o centroavante Fred, reforço de peso, para a disputa da Taça Libertadores, grande desafio do Cruzeiro na temporada. A relação de Mano com o clube também se entrelaça com o passar do tempo. O treinador está a sete jogos de ultrapassar Vanderlei Luxemburgo e se tornar o 14º com mais jogos no comando celeste.

Em duas passagens, Mano Menezes soma 119 jogos pelo Cruzeiro, com 57 vitórias, 37 empates e 25 derrotas. O técnico soma apenas uma conquista, porém de grande relevância e que deu à Raposa o direito de jogar a Libertadores em 2018.

Luxemburgo, até o momento, é mais vitorioso no Cruzeiro. Com 126 jogos à frente do time, considerando duas passagens, ele tem 74 vitórias, 25 empates e 27 derrotas . Na primeira vez que passou por Belo Horizonte, o técnico carioca conquistou a Tríplice Coroa, cravando o nome na história do clube.



A oportunidade de conquistar a América pelo Cruzeiro pode elevar ainda mais o patamar de Mano Menezes no clube. Ele beirou a taça em 2007 na final contra o Boca Juniors, quando comandava o Grêmio.

Se ficar o ano inteiro no Cruzeiro, Mano Menezes pode almejar dois pontos importantes entre os técnicos que mais comandaram o Cruzeiro. Chegando à decisão de todas as competições com o clube, ele terminaria a temporada com 195 jogos à frente da Raposa, ficando na quinta posição geral. Se disputar o mínimo de cada competição, mas se mantendo no emprego, ele fecha 2018 com 176 jogos, no sétimo lugar.



Veja a classificação geral dos 15 técnicos que mais comandaram o Cruzeiro:




1- Ilton Chaves: 362 (1969; 1970; 1970-1971; 1971/1972; 1972/1975; 1979/1980; 1983/1984)
2- Levir Culpi: 257 (1996; 1998/1999; 2005)
3- Niginho: 256 (1948/1949; 1953/1955; 1955; 1959/1961; 1962/1963)
4- Ayrton Moreira: 206 (1957; 1964/1967)
5- Ênio Andrade: 187 (1989; 1990; 1991/1992; 1994; 1995)
6- Matturio Fabbi: 181 (1928/1931; 1932/1935; 1938)
7- Orlando Fantoni: 172 (1967/1968; 1971/1972; 1983)
8- Adilson Batista: 170 (2008/2010)
9- Marcelo Oliveira: 169 (2013/2015)
10- Bengala: 136 (1938/1939; 1939/1943; 1944; 1946/1947; 1955)
11- Carlos Alberto Silva: 135 (1986/1987; 1988; 1988/1989; 1993; 1995)
12- Gérson Santos: 143 (1958/1959; 1962; 1969/1970)
13- Zezé Moreira: 132 (1975/1977)
14- Vanderlei Luxemburgo: 126 (2002/2004; 2015)
15 – Mano Menezes: 119 (2015; 2016/2017)

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte