Publicada em 21/12/2017, às 17:17

Valores e atrativo: como o River Plate pretende tirar Pratto do São Paulo

Clube argentino traça plano para tentar contratar o atacante de seu país

Pratto trocou o Atlético-MG pelo São Paulo em fevereiro (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

O River Plate não esconde o interesse na contração de Pratto, mas sabe que não terá facilidade para ter o atacante do São Paulo. O clube argentino está ciente que a operação envolve altos valores e, por isso, trabalha outras duas opções de reforço para o setor ofensivo.

Mesmo assim, o River acha possível convencer a diretoria do clube do Morumbi a abrir mão do jogador de seu país e traça um plano para isso.

A multa rescisória de Pratto é de € 11 milhões (cerca de R$ 43 milhões), valor que o River não cogita pagar. Porém, os dirigentes argentinos estão dispostos a pagar valor semelhante ao gasto pelo São Paulo no primeiro semestre: € 7,7 milhões de euros (aproximadamente R$ 30 milhões) por 65% dos direitos do jogador. Esse montante, porém, teria que ser parcelado.



O River acredita que o sonho de Pratto de disputar a Copa do Mundo de 2018 pode ser determinante para o sucesso da transferência. Recentemente, o jogador declarou que está aberto à possibilidade de mudar de clube.

– Entendo que ele tem mais chances de ir à Rússia jogando no River Plate. Pratto é um grande jogador, agrada ao Marcelo Gallardo, mas nosso técnico é muito preocupado com as finanças do clube – disse o vice-presidente do clube argentino, Jorge Brito, após o sorteio dos grupos da Libertadores, na noite de quarta-feira, no Paraguai.



A diretoria do clube argentino não tem dúvida da qualidade técnica de Pratto, mas pondera que, aos 29 anos, o centroavante já não tem muito potencial de revenda. Avalia também que o valor a ser pago para contratá-lo é quase metade do recebido com a venda de Alario, quatro anos mais novo, que foi para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, no meio do ano.




O que diz o São Paulo

O clube do Morumbi, através da sua assessoria de imprensa, informou que não recebeu nenhuma oferta do River Plate e que não tem interesse em negociar seu principal atacante.


Pratto foi contratado no início do ano por € 6,2 milhões. O São Paulo adquiriu 50% dos direitos do atacante de 29 anos. O Atlético-MG, ex-clube do gringo, detém 45% e uma rede de supermercados de Belo Horizonte é dona dos outros 5%.

No contrato de Lucas Pratto com o São Paulo, há gatilhos que permitem que o clube paulista compre mais 15% agora no fim do ano (será feito), 15% no fim de 2018 e 15% no fim de 2019. As duas primeiras fatias custam € 1,5 milhão cada.

Além disso, a partir de janeiro de 2018, se chegar uma proposta de no mínimo € 11 milhões (R$ 42,7 milhões), o São Paulo é obrigado a vender, desde que o salário oferecido ao jogador seja um pouco maior que o dobro do que ele ganha na equipe do Morumbi.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte