Publicada em 20/12/2017, às 11:49

Sondado para voltar à Colômbia, Borja fala em "fazer história" no Palmeiras

Atacante acredita que possa dar a volta por cima no futebol brasileiro

Colombiano não foi tanto à rede quanto se esperava nesta temporada (Foto: Marcos Ribolli)

De férias, à espera da reapresentação do elenco do Palmeiras para a pré-temporada, em janeiro, Miguel Borja afirmou que não pretende retornar ao futebol colombiano no momento, ainda que tenha havido sondagem do Junior de Barranquilla, seu time do coração.

– Estou feliz, porque há confiança da parte do Palmeiras, há responsabilidade da minha parte. Fizeram um esforço enorme para que eu fosse para lá (Palmeiras). Eles me brindam com apoio que eu necessito, e estou disposto a trabalhar pelo Palmeiras, dar meu melhor e fazer história. Não posso não sair pela porta da frente – disse o atacante, em entrevista à rádio El Corillo de Mao, de Cali.

– A opção do Junior, a intenção do Junior era me trazer, mas não era o que queria o Palmeiras. Responderam dessa forma, que não tinham intenção que eu saísse. E eu tenho o sonho de fazer história. Chegarei ao Nacional, ao Junior, se for o propósito de Deus, no momento oportuno.



Reforço mais caro da história do Palmeiras, que pagou US$ 10,5 milhões (R$ 33 milhões à época) para tirá-lo do Atlético Nacional no começo deste ano, Borja não teve a temporada que esperava com a camisa alviverde. Foram 10 gols em 43 jogos, incluindo um longo período no banco de reservas sob comando do técnico Cuca.

– Foi um ano difícil, porque fiquei 13 partidas sem ser titular, depois de uma boa campanha no Cortuluá e no Nacional. Com um técnico em que eu não era o jogador para o seu esquema. Eu o entendia também, não posso dizer que é um treinador ruim. Pelo contrário, aprendi muito com ele – comentou, reconhecendo que o momento é outro.



– Naquele momento quis buscar um time em que pudesse jogar, uma possibilidade era voltar à Colômbia. Agora chegou outro técnico (Roger Machado), outro projeto.




Até o momento, a diretoria palmeirense não buscou nenhum reforço com as mesmas características do centroavante colombiano. O único alvo para o ataque é Ricardo Goulart, que tenta liberação do Guangzhou Evergrande (da China) para voltar ao Brasil. Ele pode jogar pelos lados do campo ou como falso 9.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte