Publicada em 20/12/2017, às 17:24

Galo conversa e tenta repatriar Walace; Fla e Palmeiras também consultam

Volante não vive boa fase com o Hamburgo, da Alemanha, mas negociação não é simples

Walace foi contratado pelo Hamburgo após grande investimento do clube alemão (Foto: Divulgação)

O volante Walace, de 22 anos, chamou atenção e mostrou muita qualidade técnica em 2016, defendendo o Grêmio e a Seleção Brasileira. Foi campeão olímpico e acabou negociado com o Hamburgo, da Alemanha, por 10 milhões de euros. Um ano depois da chegada à Europa, a situação por lá não é das melhores, e alguns clubes brasileiros estão de olho na possibilidade de repatriar o jogador. Atlético-MG, Palmeiras e Flamengo fizeram consulta, mas o GloboEsporte.com apurou que o Galo avançou um pouco mais nas conversas e já chegou a colocar uma oferta "na mesa" para o jogador - inclusive com detalhes salariais.

O clube mineiro ainda não realizou proposta oficial ao Hamburgo. Walace tem contrato por lá até 2021, e o alto investimento feito pelos alemães, claro, dificulta a negociação. Ela é difícil, mas não impossível. A princípio, o Hamburgo não cogita emprestar o jogador. O panorama pode mudar caso o clube contrate algum jogador para a posição - a janela europeia de negociações ainda não está aberta.

Walace não é titular no Hamburgo, e a relação dele com o treinador alemão Markus Gisdol não é das melhores. Gisdol já preferiu, inclusive, escalar jogadores improvisados em algumas partidas ao invés de dar oportunidade a Walace. O time também não vai bem - é o atual penúltimo colocado no Campeonato Alemão. Mesmo assim, a prioridade do volante é permanecer na Europa, mas o retorno ao Brasil não está descartado. Ele está em Salvador, sua terra natal, curtindo a folga de fim de ano. Ele se reapresentará normalmente ao Hamburgo em janeiro.



Até lá, o Atlético-MG se movimenta para formalizar uma proposta que agrade clube e jogador. A negociação deve ter os próximos capítulos já em 2018, após o recesso europeu de fim de ano.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte