Publicada em 20/12/2017, às 11:22

Flu volta a atrasar salários, e direção tem expectativa de zerar débitos em janeiro

Tricolor não tem dinheiro para pagar 13º e férias e, apesar do trabalho de redução de despesas, precisa da verba da venda de Wendel para regularizar situação

Elentco tricolor tem dinheiro a receber (Foto: Nelson Perez/Fluminense)

Apesar do esforço e de ter obtido resultado na reestruturação financeira, o Fluminense fechará 2017 com um problema que enfrentou durante toda temporada: o atraso no pagamento de salários. Não há dinheiro para quitar o 13º e as férias dos jogadores previstos para vencer nesta quarta-feira.

O débito é ainda maior ao se levar em conta o um mês de CLT (novembro) e os quatro de direitos de imagem não pagos. Há dívida ainda no que diz respeito ao 13º e as férias de 2016. A expectativa da direção é regularizar a situação em janeiro, conforme disse Diogo Bueno, vice de finanças, em recente entrevista ao GloboEsporte.com.

- O Fluminense vai honrar 100% das dívidas com os atletas. Com quem joga, com quem está emprestado ou quem eventualmente sair. É compromisso do clube. Esperamos em janeiro quitar tudo para começar 2018 zerado - destacou o dirigente.



É no começo da próxima temporada que o Tricolor espera receber finalmente o dinheiro da venda de Wendel. Acertada com o PSG, a negociação renderá 10 milhões de euros (R$ 38,5 milhões). O dinheiro será usado para pagar os jogadores.

Recentemente, a direção fez uma operação financeira para pagar parte dos atrasados. Em novembro, quitou dois meses de salários.



Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte