Publicada em 16/12/2017, às 13:57

Fisiologista do Flu detalha cuidados que o elenco deve ter no mês de férias

Juliano Spineti trabalha com o elenco profissional do Fluminense e revela as recomendações do departamento para os jogadores antes da pré-temporada de 2018

Zagueiro Henrique trabalha no CTPA sob os olhares do fisiologista Juliano Spineti (Foto: Nelson Perez/Fluminense F.C.)

O elenco do Fluminense só volta ao CT Pedro Antonio no dia 3 de janeiro para iniciar a pré-temporada de 2018, mas os cuidados físicos dos jogadores segue e é fundamental inclusive no mês de férias.

Por isso, o departamento de fisiologia do Tricolor recomenda algumas práticas durante o período de final do ano, já ciente de que os atletas não manterão o ritmo de treino com a temporada em andamento.

- O atleta tem que tomar cuidado, não tem jeito. É normal, nesse período, uma dieta mais flexível, mas não pode ser todo dia. Eles recebem uma orientação da nutricionista em relação a isso. Outra possibilidade são os treinos de manutenção. É possível realizar alguma atividade com volume, frequência e carga muito menores, só com o objetivo de atenuar o destreino - destacou o fisiologista Juliano Spineti, ao site oficial do Fluminense, antes de completar:



- O descanso faz parte do processo de treinamento, você tem onze meses de período competitivo, então essa transição é necessária tanto no aspecto físico, quanto emocional para que o atleta possa dar sequência na temporada seguinte.

O destreino citado por Juliano é a interrupção de treinamento físico por um período, o que pode causar perda da resistência cardiorrespiratória, do peso muscular e incremento do peso de gordura - o que já é esperado pelo departamento na volta dos atletas em janeiro. O objetivo é minimizar a perda e o que pode ser determinante para isso é o trabalho com os exames realizados durante todo o ano de 2017.



- Cada atleta tem um aspecto físico e predisposições diferentes, então a gente tem que levar em consideração como esse atleta está acabando a temporada. Se ele está voltando de lesão, precisa de um cuidado especial. Mesmo respeitando o descanso, ele não pode parar, não pode interromper por total esse processo. Tem também a questão da idade. Quanto mais velho, mais suscetível ao destreino - explicou o fisiologista.




Conteúdo publicado originalmente no site Lance!