Publicada em 16/12/2017, às 13:43

Ainda tem negócio? Perguntas e respostas sobre Scarpa e Palmeiras

Negociação que caminhava bem sofreu um retrocesso na sexta, quando Róger Guedes não aceitou ir para o Fluminense. Verdão ainda estuda o que fazer para levar o meio-campista

(Foto: Jorge Rodrigues/Eleven/Lancepress!)

O Palmeiras ficou pessimista em relação à chegada de Gustavo Scarpa, mas isto não significa que o clube desistiu do meia de 23 anos do Fluminense. A conversa que caminhava bem travou na sexta, após Róger Guedes se recusar a entrar na troca com o clube carioca. A partir disto, a torcida ficou em dúvida: então a negociação acabou? Por qual time ele jogará? O LANCE! listou algumas destas dúvidas e as responde abaixo:

- Por que a negociação travou?
Porque não houve um acerto entre o Fluminense e os jogadores do Palmeiras que o clube desejava. A primeira ideia nas Laranjeiras era fazer uma troca de Scarpa por Guerra, mas o Verdão comunicou que o venezuelano não está à disposição no mercado. Depois, a negociação seria Róger Guedes e mais um jogador pelo meia do Flu, só que o atacante não topou. Com este novo desacerto, a negociação travou e as partes suspenderam as conversas, que até então vinham caminhando bem.

- O Palmeiras desistiu?
Não. O clube adotou um discurso pessimista nos bastidores após a recusa de Guedes, mas ainda estuda uma outra forma de levar o atleta, já que o Flu se mostra interessado pelas peças que o Verdão tem à disposição no elenco. É possível que os clubes voltem a discutir uma troca, com outros jogadores.



- É possível o Palmeiras pagar ao Fluminense para levar Scarpa?
A princípio não. A intenção do Palmeiras era fazer a troca de atletas, sem ter de pagar nada ao Fluminense e arcar com o salário de Scarpa. O time carioca pagaria integralmente os vencimentos dos atletas que levasse no acordo.

- Qual a intenção do Fluminense?
Como a relação entre Scarpa e a torcida já dava sinais de desgaste, o clube viu no jogador uma boa opção para reforçar o elenco sem ter de fazer altos investimentos. O Flu tem problemas financeiros e passou o ano todo lidando com salários atrasados. Com uma peça importante no mercado, o Tricolor quer aproveitar para conseguir uma boa troca. Dono de 40% dos direitos econômicos do jogador e com contrato até 2020, o clube estudava emprestar Scarpa por dois anos ao Verdão para valorizá-lo em um dos principais times do país e também faturar em uma venda futura à Europa.



- Quem ainda pode ser envolvido?
Por enquanto não há uma definição sobre novos nomes. Antes, atletas como Fabiano, Matheus Sales e Hyoran eram potenciais candidatos a irem para o Fluminense junto com Róger Guedes. O lateral-direito já teve o nome bem avaliado por Abel Braga, o volante chegou a negociar com os cariocas neste ano, mas optou pelo Bahia, enquanto o meia-atacante recebeu sondagens do Tricolor. Lucas, que esteve emprestado em 2017 ao Flu, não iria neste grupo.




- Quais os principais concorrentes?
No Palmeiras, internamente, o Corinthians é considerado o principal adversário, mas o arquirrival se vê atrás até do São Paulo, para eles o favorito a levar Scarpa. O time do Morumbi ofereceu 3 milhões de euros (cerca de R$ 11,5 milhões) mais três atletas em troca por Scarpa: o meia Lucas Fernandes e os laterais Buffarini e Júnior Tavares. Mas quando o Fluminense viu a possibilidade de levar jogadores do Palmeiras, acabou esfriando as conversas com o Tricolor e passou a investir num acerto com o Verdão, agora distante.

- Qual a avaliação do Palmeiras sobre o jogador?
​Scarpa é considerado uma "oportunidade de mercado". Embora já tenha tentando contratá-lo no fim de 2016, o clube não havia colocado o meia na sua lista de reforços para 2018. A partir do momento que o Fluminense mostrou-se interessado em envolvê-lo em uma troca, o Verdão viu a possibilidade de contratar um armador avaliado como "excepcional", mesmo não considerando que sua posição é uma carência no elenco. Até por esta análise, o Palmeiras não se mostra disposto a ceder muito ou a gastar uma quantia alta para contratá-lo. Apesar de ainda desejar Scarpa, a diretoria se move sem correria.


- Quais os planos de Scarpa?
​Antes do entrave, Gustavo havia se reunido na quinta com um de seus empresários, Marcelo Goldfarb, e seu pai, Zezo. Durante o encontro, soube de duas sondagens da Europa, de Lazio (ITA) e Fenerbahce (TUR), além de detalhes sobre o que oferecia o Palmeiras. Na cabeça do jogador estes três clubes eram as melhores opções para jogar em 2018 - ficar no Fluminense ou ir para o São Paulo eram opções remotas. Pessoas ligadas ao atleta ainda consideram que é possível sair o negócio com o Verdão, que tem a seu favor a estrutura da Academia de Futebol, a força do elenco para disputar o título da Libertadores e a visibilidade para chegar à Seleção Brasileira.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!