Publicada em 15/12/2017, às 17:05

Após reunião, Scarpa se divide entre ir para a Europa e jogar no Palmeiras

Meio-campista dificilmente permanecerá no Fluminense em 2018, e clube carioca busca uma recompensa para liberar o armador. No Brasil, Verdão é o principal candidato a levá-lo

Gustavo Scarpa ao lado de seu pai, Zezo, e do empresário Marcelo Goldfarb nessa quinta (Foto: Divulgação)

Gustavo Scarpa teve uma primeira reunião com seu estafe na noite de quinta para definir onde jogará em 2018. Neste momento, o meio-campista tem duas possibilidades: ir para a Europa após receber sondagens da Lazio (ITA) e Fenerbahce (TUR), ou jogar no Palmeiras. Permanecer no Fluminense ou acertar com o São Paulo são opções consideradas remotas atualmente.

De férias, o jogador recebeu na quinta o título de cidadão de Hortolândia (SP), acompanhado de seu pai, Zezo, e Marcelo Goldfarb, um de seus empresários e sócio da OTB Sports, empresa que gere sua carreira. Bruno Paiva, outro membro da agência, não esteve no local, pois foi com Seedorf a Curitiba (PR) - o holandês foi convidado para assumir o Atlético-PR.

Essa ausência no interior de São Paulo postergou uma definição sobre o futuro do atleta. Gustavo participou de um encontro com Goldfarb e seu pai, avaliou os três cenários possíveis, mas quer ouvir também a opinião de Bruno Paiva, que teve de ir negociar com o Furacão de última hora.



No Palmeiras, o jogador sabe que estará em uma das maiores equipes da América do Sul, com um elenco capaz de disputar o título da Libertadores. Uma boa campanha lhe traria visibilidade até para o sonho de chegar à Seleção Brasileira. A proximidade com a família, que vive no interior paulista, é outra vantagem.

Caso escolha, de fato, o Verdão, Scarpa deve ser emprestado por duas temporadas. O problema nesta negociação é que Palmeiras e Fluminense vão realizar uma troca, e a equipe tricolor precisa convencer os jogadores alviverdes a jogarem no Rio de Janeiro (RJ).








Hyoran, Róger Guedes, Fabiano e Matheus Sales estão entre os atletas que podem ser envolvidos. Guerra, por outro lado, não será liberado pelo Palmeiras. A tendência é de que três jogadores se transfiram ao Fluminense.

O Palmeiras aguarda um acordo entre Flu e seus atletas para avançar com Scarpa. A intenção é emprestar os jogadores ao clube carioca, que deverá arcar com 100% dos vencimentos destes atletas. Essa é a parte mais complexa.


O São Paulo chegou a oferecer Júnior Tavares, Buffarini e Lucas Fernandes, além de R$ 11 milhões, para comprar os 40% dos direitos econômicos que pertencem ao Tricolor Carioca - o contrato do jogador com a equipe carioca termina em setembro de 2020.

O Flu se interessou mais pelos jogadores do Palmeiras e ainda poderá lucrar com uma futura venda de Gustavo Scarpa, que jogaria a Libertadores e estará na vitrine. Por isso, o Verdão é o grande favorito a ter o jogador no Brasil.

As procuras de Lazio e Fenerbahce foram mais recentes, mas dão ao jogador a possibilidade de jogar em um mercado forte, o europeu, em competições badaladas no continente, além de uma boa condição financeira. Ao menos por enquanto, a tendência ainda é de que Scarpa permaneça no Brasil.

Não há prazo para que a novela termine. Ciente de que leva tempo para que o Fluminense acerte com um pacote de atletas, o Verdão trata o caso como uma "oportunidade de mercado" e sem pressa; o próprio jogador também estuda o que é melhor para seu futuro. De acordo com pessoas próximas, o projeto de carreira apresentado pelos interessados será o principal fator para a escolha.

Conteúdo publicado originalmente no site Lance!