Publicada em 14/12/2017, às 20:21

Entenda por que Palmeiras decidiu pagar R$ 2 mi para ter Weverton em janeiro

Goleiro ficaria livre em maio, mas Atlético-PR receberá para liberá-lo antes

Weverton assinará contrato de cinco temporadas com o Palmeiras (Foto: Lucas Figueiredo / MoWA Press)

O Palmeiras vai pagar R$ 2 milhões (divididos em dez parcelas) ao Atlético-PR para ter Weverton em janeiro. O goleiro de 29 anos ficaria livre em maio, mas, com a compensação financeira, se apresentará com o restante do elenco na pré-temporada em 3 de janeiro.

A pergunta recorrente entre os torcedores nas redes sociais é: por que não se esperou pelo final do contrato, em 28 de maio, para tê-lo de graça? A resposta da diretoria passa primeiramente pelo calendário, mas também pelo receio com relação à condição física dos dois primeiros nomes da posição, Fernando Prass e Jailson.

Se viesse apenas ao final do vínculo, Weverton perderia as seis partidas da fase de grupos da Libertadores, que vai de 28 de fevereiro a 23 de maio. Neste caso, ele só poderia ser uma substituição caso a equipe avançasse ao mata-mata.



O reforço perderia também a pré-temporada, o Campeonato Paulista (que terá 18 datas até a final, em 8 de abril) e sete rodadas do Campeonato Brasileiro (entre 15 de abril e 27 de maio).

O histórico recente de Prass e Jailson também foi levado em conta. O camisa 1 tem 39 anos, duas cirurgias no cotovelo direito e viveu uma temporada de altos e baixos. Já seu substituto imediato, de 36 anos, sofreu uma lesão rara no quadril, em agosto, que fez o departamento médico consultar especialistas nos Estados Unidos.



Entende-se no clube que é preciso ter alguém mais jovem, mas experiente, caso ocorra algo com algum dos dois. Weverton, a propósito, foi quem substituiu Prass na seleção brasileira (e foi campeão olímpico) quando o goleiro machucou o cotovelo pela última vez.




Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte