Publicada em 13/12/2017, às 11:18

Inter aposta no cartaz de Seijas em Colômbia e Venezuela por futuro do meia

Gringo foi emprestado pelo Colorado a Chapecoense nesta temporada, mas oscilou e sofreu uma lesão no joelho esquerdo. Clube ainda aguarda propostas pelo atleta

Seijas tem cinco gols em 29 partidas pelo Inter (Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG)

Se a bola está parada, as ligações e conversas ocorrem de maneira frenética no Beira-Rio. A direção do Inter trabalha para montar o grupo para 2018. Além de buscar reforços, tenta definir o futuro de atletas que estão fora dos planos. Seijas é um deles. A esperança do clube reside no prestígio do meia pela América do Sul.

Os principais mercados do meia são Venezuela e Colômbia, embora ainda não existam propostas. Revelado pelo Caracas, Seijas cansou de atuar pela seleção de seu país. São 67 participações, com dois gols anotados. Esteve, inclusive, na Copa América de 2016, quando acabou marcado pelo pênalti perdido ao dar uma cavadinha em cima do goleiro Romero, na derrota por 4 a 1 para a Argentina.

A Colômbia também guarda um carinho pelo atleta. O jogador de 31 anos teve duas passagens pelo Santa Fé, entre 2008 e 2011, e 2014 e 2016, e é ídolo dos Cardenales. Na última, ajudou a equipe a conquistar a Sul-Americana, em 2015, e chamou atenção no confronto com o Inter, ao qual os gaúchos eliminaram os colombianos nas quartas de final da Libertadores.



O meia desembarcou no Beira-Rio em meados de 2016 como a aposta da gestão Vitorio Piffero para substituir D'Alessandro, então emprestado ao River Plate. Logo caiu nas graças da torcida com gols e boas atuações. Porém, a queda da equipe rumo ao rebaixamento o afetou. Perdeu lugar no time, mas seguiu como uma espécie de voz das arquibancadas em campo, ao demonstrar a dor com desabafos pelos reiterados fracassos do time.

– Na verdade, a situação, desculpem a palavra, é uma m*. Mesma situação que estamos passando – disse Seijas, após derrota para o Santos, em setembro de 2016.



Neste ano, o venezuelano começou a pré-temporada como titular do Inter. Porém, passou a ser alternativa para o time. Em abril, acabou emprestado a Chapecoense após disputar sete partidas pelo Colorado.




Seijas foi emprestado por uma temporada a Chapecoense (Foto: Sirli Freitas/Chapecoense)



Os gaúchos apostavam que, em Santa Catarina, o gringo recuperaria o futebol dos tempos de Santa Fé. Porém, mais uma vez, oscilou. Disputou 19 partidas, sem balançar as redes. Em outubro, sofreu uma lesão no joelho esquerdo. Voltou a Porto Alegre para realizar o tratamento no Centro de Treinamentos do Parque Gigante. Depois, regressou a Chapecó para apoior o grupo de Gilson Kleina nas rodadas derradeiras do Brasileirão.


Seijas tem vínculo com o Inter até 30 de junho de 2019. Pelo clube gaúcho, acumula 29 jogos, com cinco gols marcados.

Além da situação do venezuelano, o departamento de futebol prevê uma conversa com Anderson. A ideia é propor uma rescisão amigável. Em um primeiro momento, a ideia não está nos planos do meia, que volta após participar do rebaixamento do Coritiba, a terceira queda em quatro Brasileirões disputados. Caso confirme a recusa, o clube o colocará para treinar com o Inter B até aparecer um interessado ou o término do contrato, ao fim de 2018.

O futuro dos emprestados, aliás, é algo que desperta atenção do departamento de futebol. O Inter aproveitará Andrigo e Marcinho. Os gaúchos esperam o Vasco se pronunciar sobre a sequência de Paulão. Brenner tem contrato até dezembro de 2018 com o Botafogo, enquanto Valdívia permanecerá até maio no Atlético-MG. Com os outros, o clube tentará realocar em algum mercado.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte