Publicada em 13/12/2017, às 14:59

Fica ou vai? Torcida do Fluminense se divide quanto a futuro de Gustavo Scarpa

Em enquete no GloboEsporte.com, 54,5% dos tricolores desejam que meia permaneça no clube. Restante acredita que jogador deve ser negociado

Gustavo Scarpa em ação em Fluminense x Sport no Brasileirão (Foto: LUCAS MERÇON/FLUMINENSE F.C.)

Gustavo Scarpa é o nome mais comentado nestas primeiras semanas da janela de transferências do futebol brasileiro. Incomodado com vaias da torcida do Fluminense, o meia manifestou a pessoas próximas que pensa em mudar de ares em 2018.

O próprio clube carioca vê em uma possível saída a oportunidade de encorpar o elenco com jogadores vindo em troca. São Paulo, Palmeiras e Corinthians foram alguns dos clubes que manifestaram interesse e conversas estão em andamento.

Mas e a torcida do Flu? Quer que Scarpa fique ou que saia? Colocamos a seguinte enquete na página do clube no GloboEsporte.com:



Torcedor do Flu, você deseja que Gustavo Scarpa continue no clube em 2018?

E os tricolores ficaram divididos.



Um pouco mais da metade dos quase 15 mil internautas que participaram da enquete votaram para Scarpa ficar.




A opção mais votada foi “Claro! Ele é o melhor jogador do time. Precisamos dele”, com 36%. Outros 18,49% votaram em “Sim. Ele teve um ano discreto, mas é muito importante para o time", totalizando 54,49% a favor da permanência do meia no Tricolor.

Já 22,64% acreditam que vale a pena fazer negócio, por isso, votaram em “Talvez. Se pintar uma oferta boa em $$ ou em troca de jogadores, vale vendê-lo”. Outros 22,88% não querem mais saber de Scarpa no Flu e selecionaram “Não. Se não quer ficar, tem mais que ir embora mesmo”.


Resultado de enquente - Gustavo Scarpa no Fluminense (Foto: GloboEsporte.com)



Garçom no Brasileirão, vaias e contrato até 2020

Scarpa tem contrato com o Flu até 2020. O camisa 10 começou o ano em alta, mas sofreu uma grave lesão no tornozelo direito no 1º semestre, a qual o afastou quase 90 dias do time. Quando retornou, retomou a titularidade e atuou nas 38 partidas do Brasileirão. Marcou dois gols e deu 12 assistências, sendo o garçom do campeonato.

Apesar dos bons números, viveu uma situação atípica. Foi criticado por parte da torcida em algumas partidas. No empate com o Bahia, por exemplo, não comemorou o gol por não concordar com as vaias e mostrou semblante fechado nas últimas partidas da competição. Na temporada, somou 52 partidas e sete bolas na rede.

Conteúdo publicado originalmente no site GloboEsporte