Publicada em 14/11/2017, às 19:17

Sem ritmo, Conca vira espectador no Flamengo e intriga Rueda e elenco

Meia não consegue adquirir ritmo e voltará à China em 2018

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O meia Dario Conca virou quase que um jogador invisível no Flamengo. Mesmo quando é relacionado para jogos, vive rotina de espectador. Contratado com status de reforço de peso em janeiro, o argentino amarga um fim de empréstimo sem poder ajudar o time na reta final da temporada. Nos treinos, intriga o técnico Reinaldo Rueda e sua comissão técnica por não conseguir adquirir ritmo mais intenso nas atividades com bola. Por isso, segue no fim da fila e voltará à China em 2018.

Em atividades com campo reduzido, Conca ainda exibe habilidade e normalmente consegue se livrar de marcadores mais lentos, como Rômulo e Rafael Vaz. Os mais velozes logo lhe roubam a bola. Nos coletivos, participa com discrição e chama atenção até dos próprios colegas por não conseguir a intensidade dos demais depois de tantos treinos. Os relatos são de que não há confiança para que o jogador dispute partidas para valer.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



O departamento médico liberou o jogador há alguns meses e considera que ele está curado da lesão no joelho esquerdo, embora ainda manque. Como não recomendou a contratação no ano passado, o chefe do setor, Márcio Tannure, deixa os trabalhos apenas com a preparação física, que tenta fazer o "milagre" de colocar Conca em condições.

O tempo passou e ficou claro que o meia precisa entrar em campo com menor exigência. No calendário de jogos do futebol brasileiro, a recuperação não será completada. Pessoas próximas ao jogador acreditam que na China, com menos exigência, Conca, de 34 anos, deve finalizar o contrato com o Shangai SPIG em campo para, quem sabe, buscar um fim de carreira mais digno.

Fonte: O Globo
Clique para ver a matéria no site fonte