Publicada em 10/11/2017, às 23:01

Pratto mira 47 pontos, mas não desiste de vaga do São Paulo à Libertadores

Argentino diz que é preciso ser realista, cita dificuldade de jogo com o Vasco, mas mantém esperança: "Seria bom começar o ano com classificação"

Lucas Pratto, do São Paulo, posa com nova camisa da Argentina e a bola da Copa do Mundo (Foto: Marcelo Hazan)

O objetivo do São Paulo é atingir o quanto antes os tão falados 47 pontos, considerados seguros contra o rebaixamento do Brasileirão. Lucas Pratto segue o discurso do grupo e prega pensamento realista, mas não perde de vista uma possível vaga para a Libertadores de 2018.

Com 44 pontos, o Tricolor está a seis do Flamengo, o sétimo colocado. Mas se o próprio Rubro-Negro ganhar a Sul-Americana, e o Grêmio conquistar a Libertadores, o G-7 pode virar G-9. Vale a torcida dos são-paulinos, Pratto?

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



– Vale torcer por isso, né, que abram mais dez vagas (risos).

– Hoje conversei com meus companheiros. Sabemos o time onde estamos: é muito grande. A obrigação é estar entre os primeiros colocados. Sofremos muito nesse ano. A torcida sofreu mais ainda. Seria bom começar o ano com uma classificação para a Libertadores, mas sabemos também que o ano não foi fácil. Se der, melhor. Se não, tem de finalizar o ano o mais tranquilo possível – disse nesta sexta-feira, em evento de lançamento da nova camisa da seleção argentina.

Na última quinta-feira, o Tricolor reagiu depois de sair perdendo por 2 a 0 para a Chapecoense e buscou o empate: 2 a 2. No domingo, o São Paulo enfrentará o Vasco, às 17h, em São Januário, no Rio de Janeiro.





– A questão da Libertadores está um pouco longe. Por mais que tenha pensamento positivo, tem de ser realista. Só faltam cinco jogos e o Vasco tem quatro pontos na frente. O Bahia e o Atlético-MG têm 45. O mais importante é vencer domingo. O Vasco é um time que sabe como pressionar muito bem. Não para de correr um minuto. Jogaram bem contra o Santos. Vai ser muito difícil. O mais importante é conseguir os 47 pontos e depois ver como serão os quatro últimos jogos.

Em defesa de Araruna

Apesar de o ambiente estar melhor, Araruna virou alvo de críticas dos torcedores durante o primeiro tempo no Pacaembu. O volante improvisado como lateral perdeu confiança ao longo da partida e foi substituído no intervalo por Lucas Fernandes.

– A torcida está um pouco ansiosa. Tentamos atacar pela direita, mas não temos tanta saída como pela esquerda. Jogamos com um volante mais de marcação por ali, o Petros, que não tem tanta projeção ao ataque. O Felipe (Araruna) talvez sinta um pouco a torcida, mas tem o apoio de todos. Não é fácil jogar no São Paulo, sendo volante e estar na lateral. Mas ele está melhorando muito e é um menino com a cabeça muito boa. Sabemos que a torcida tem de cobrar dos jogadores, mas tem de ter um pouco mais de paciência com os mais novos.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - São Paulo