Publicada em 09/11/2017, às 23:29

Reinaldo brilha, mas São Paulo reage no fim e empata com a Chape

Emprestado pelo Tricolor, lateral-esquerdo deu uma assistência e fez um gol, mas Tricolor contou com embalo da torcida para igualar com Gilberto e Arboleda

São Paulo 2 x 2 Chapecoense (Foto: Luis Moura / WPP)

São Paulo e Chapecoense fizeram um duelo emocionante na noite desta quinta--feira no Pacaembu. O empate por 2 a 2 foi decretado depois de a Chape abrir 2 a 0. Marcou uma reação do Tricolor, que não repetiu as atuações seguras das últimas partidas, mas teve forças, embalado pela torcida, para impedir um triunfo catarinense em seus domínios. O empate mantém as equipes distantes da zona do rebaixamento, e os paulistas com o sonho de Libertadores ainda vivo.

A Chape jogou melhor no primeiro tempo, se aproveitando de muitos erros do São Paulo. O Tricolor errou tanto que praticamente só Hernanes teve boa atuação, ao servir companheiros e tentar de fora da área. Marcos Guilherme desperdiçou três chances. O castigo veio com Reinaldo, aquele mesmo emprestado pelo clube paulista. No primeiro gol, ele colocou a bola na cabeça de Wellington Paulista, que contou com a negligência de Sidão e a desatenção de Rodrigo Caio para testar ao fundo das redes. Gol que premiou a Chape, mais organizada na partida naquele momento.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Muito por conta de Reinaldo, a principal válvula de escape do time. Ele avançava com facilidade. Levava a melhor no confronto com o garoto Araruna, mais uma vez improvisado na lateral no lugar de Militão. E outro, assim como Reinaldo um dia, a sofrer com a fúria dos tricolores. Araruna sentiu na carne. Numa jornada para esquecer, o garoto ficou inibido de ir ao ataque, abusou dos recuos e errou sempre que se arriscou. Irritada, parte da não perdoou e vaiou o garoto. Ele saiu no intervalo.

Mas o drama do São Paulo não passou. Logo no início, Shaylon, outro garoto da base, perdeu bola no ataque e, no contra-ataque, Marcos Guilherme cometeu pênalti em Apodi. Nem preciso mais dizer que Reinaldo converteu... O lateral-esquerdo ampliou para a Chape. Requintes de crueldade.

A reação do técnico Dorival Júnior foi apelar. Tirou Shaylon e colocou Gilberto. Depois, Petros, que virara lateral, para a entrada de Maicosuel. Era tudo ou nada. E foi tudo. Ou quase tudo. No primeiro lance, aos 26, Gilberto aproveitou falha do goleiro e empatou no rebote. Começava o abafa. A torcida empurrou o São Paulo. E deu resultado aos 37 minutos da etapa final, em cabeçada do zagueiro Arboleda após ótima cobrança de escanteio de Lucas Fernandes: 2 a 2 para delírio do Pacaembu.



Após o empate, a blitz diminuiu. A Chape se organizou e conseguiu manter o placar até o fim. O Tricolor não foi brilhante, mas valente. Agora, segue no meio da tabela, com 44 pontos, na 11ª colocação. Poderia ter sido melhor, não fosse por tantos erros e os golpes de Reinaldo, aquele tão contestado. A Chape, com ele, chegou a 41 pontos, cinco acima do Z4. Ufa!

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 2 X 2 CHAPECOENSE
Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data-Hora: 9/11/2017 - 20h
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisquim (RJ)
Público/renda: 33.226 pagantes/R$ 959.703,00
Cartões amarelos: Marcos Guilherme (SAO), Amaral e Luiz Antonio (CHA)
Cartões vermelhos: -
Gols: Wellington Paulista (26'/1ºT) (0-1), Reinaldo (14'/2ºT) (0-2), Gilberto (26'/2ºT) (1-2), Arboleda (37'/2ºT) (2-2)

Fonte: Lance!
Clique para ver a matéria no site fonte