Publicada em 09/11/2017, às 18:49

Inexperiência e ineficiência: por que Jonata e Marques não são 2ª opção no Cruzeiro

Mano prefere utilizar Sobis e Arrascaeta como "falsos 9", mesmo na base da improvisação, porque acredita que dupla de centroavantes ainda precisa de aprimoramento

Rafael Marques comemora retorno após pequena cirurgia (Foto: Maurício Paulucci)

Você tem dois centroavantes no elenco: Rafael Marques e Jonata. Poderiam ser quatro, na verdade, mas Sassá e Raniel estão machucados. Então, por que utilizar jogadores improvisados, que não desempenham a função naturalmente, como Arrascaeta e Rafael Sobis? A resposta simples e óbvia: questão de preferência do treinador. Mas se aprofundarmos na discussão, é possível perceber os motivos que fazem o técnico Mano Menezes não bancar Jonata ou Rafael Marques como donos da posição neste fim de temporada.

O treinador foi claro. Para ele, Jonata, que tem apenas 19 anos, está "muito cru" para assumir a responsabilidade de ser o homem-gol do Cruzeiro. Com relação a Rafael Marques, passa pela ineficência de aproveitar as oportunidades dadas.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



- Ainda é um pouco cedo para Jonata assumir toda essa responsabildiade. Minha ideia é sempre colocá-lo durante o jogo. Rafa Marques recebeu a segunda oportunidade de começar jogando. Contra o Palmeiras foi melhor, contra o Flamengo tivemos dificuldade com ele. Mas são jogadores que estão aí, e eu preciso formar uma ideia do que eles podem fazer no campo, jogando, para ser justo como todo mundo, com o clube, com jogador.

É claro que Mano não gosta daquele centroavante clássico, parado, estático lá na frente. Tanto é que barrou o goleador Ábila, durante muito tempo, para improvisar Sobis. O que isso significa? Quer dizer que o treinador faz questão de um atacante ágil, que se movimente, ajude na criação e, principalmente, na recomposição.



Para isso, Mano tentou colocar Rafael Marques mais aberto, pela direita contra o Flamengo, mas como o próprio treinador explicou, não foi muito efetivo.

- O que queremos com a formação com o Rafael Marques jogando mais pelo lado era usar a velocidade de Alisson mais agudo, em direção ao gol. Mas (contra o Flamengo), não conseguimos ficar com a bola, o Rafa Marques começou a sofrer para marcar o lado. E Alisson é melhor para marcar o lado, é mais rápido.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte