Publicada em 09/11/2017, às 23:27

Fluminense vira, cede empate e vê sonho de Libertadores bem longe

Com quatro gols de bola aérea, Tricolor e Coritiba fream ascensão na tabela e se contentam em escapar do rebaixamento. Dourado faz mais um e Cleber Reis vai de vilão a heroi

Fluminense x Coritiba (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

Após vitórias convincentes, Fluminense e Coritiba empataram em 2 a 2 no Maracanã em jogo morno com falhas na bola aérea. Henrique Dourado, Cleber Reis (contra e a favor) e Werley marcaram os gols da partida. O resultado não foi bom nem ruim: ambos vêem a parte de cima mais distante, mas, pelo menos, longe do perigo do rebaixamento.

A virada contra o Botafogo na rodada anterior tirou o Fluminense do sufoco, é verdade, mas nada além disso. Até poucos minutos antes da bola rolar, a torcida tricolor estava quieta, quase que desmotivada. Não era pra menos: com os resultados da rodada, o sonho de alcançar o G7, estava distante.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Do lado alviverde, a motivação era outra. As três vitórias seguidas tiraram o clube da zona de rebaixamento e um empate era de bom tamanho. E foi para isso que o Coritiba entrou em campo.

Mais leve, o time de Abel Braga ensaiou uma pressão nos primeiros minutos. Douglas e Scarpa, de longe, arriscaram de canhota. Marcos Júnior chegou a abrir o placar aproveitando bom passe de Dourado, mas o bandeirinha - corretamente - marcou impedimento. Mas só.

O Coxa equilibrou a posse de bola e o jogo ficou morno. Com Carleto e Rildo, as melhores tentativas pela esquerda. Numa delas, já no fim da primeira etapa, surgiu escanteio para o lateral ex-Flu cobrar. Bola na pequena área, desvio de Alan Santos no primeiro pau e Werley, sozinho, abriu o placar. Os tricolores foram para o vestiário sob vaias da torcida.



No segundo tempo, mudanças: Norton, jogando como 1º volante, foi substituído por Wendel. Mais que isso, a postura da equipe mudou. A pressão tricolor surtiu efeito e o empate veio da mesma forma: escanteio pela esquerda, Henrique cabeceou e Cleber Reis, desastrado, mandou para própria rede.

O esquema tático do Fluminense, pela primeira vez com Abel, mudou. Scarpa saiu da ponta e compôs o meio com Sornoza, num 4-4-2 clássico. E foi assim que o camisa 10 achou Lucas pela direita, que fez grande jogada e cruzou na cabeça de Henrique Dourado, livre. O Ceifador marcou seu 31º gol na temporada e o camisa 2, vaiado, deu a resposta em campo.

Pelo segundo jogo seguido, o Tricolor buscava a viarada no placar. A torcida se empolgou e Abel foi ousado - tirou Lucas e improvisou Matheus Alessandro, heroi no último jogo, na lateral. No primeiro lance do garoto, furada feia e escanteio para o adversário. Não de outra. Cleber Reis, que havia feito gol contra, se redimiu e empatou.

Fonte: Lance!
Clique para ver a matéria no site fonte