Publicada em 06/11/2017, às 22:41

Palmeiras abre sindicância para investigar venda irregular de ingressos que envolve Mustafá

Clube vai oficializar a investigação no caso nesta terça-feira, no Conselho Deliberativo. Caso caminhará junto com o Ministério Público, que também está apurando os fatos

Mustafá Contursi será alvo de investigação no Conselho Deliberativo do Palmeiras (Foto: Thiago Ferri)

O Palmeiras abrirá nesta terça-feira a sindicância para apurar a possibilidade de venda irregular de ingressos, que tem o nome de Mustafá Contursi entre os envolvidos. O clube vai investigar o fato depois de o presidente do Conselho Deliberativo (CD), Seraphim Del Grande, designar uma equipe responsável. O Ministério Público (MP) também está acompanhando o caso.

Isto será tema de uma sindicância no CD, pois envolve um conselheiro - o mais influente do Palmeiras, inclusive. É possível, contudo, que seja feita uma investigação também no departamento de sindicância do clube, para que se apure a participação de Eliane, sócia ligada a Mustafá e que após a divulgação do ocorrido tentou se desligar do quadro de associados - o pedido foi rejeitado.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



- Ela (Eliane) pediu para ser afastada do quadro de sócios, mas como tem este problema de investigação nós indeferimos, porque ela como sócia tem de responder pelos atos que foram praticados. Se hoje ou amanhã for comprovado que ela agiu de má fé, pode ser expulsa. Se ela pedir a saída agora, pode a qualquer momento pagando as taxas voltar - explicou Seraphim Del Grande, ao LANCE!.

- Vamos abrir a sindicância também para ela, pois temos conselheiros envolvidos. Agora é fazer o levantamento, apurar tudo e levar ao CD - acrescentou.

O esquema começou a partir dos 70 ingressos que Mustafá recebia gratuitamente de Leila Pereira, patrocinadora e conselheira do Palmeiras. Só que o ex-presidente encaminhava essas entradas a Eliane. Seria ela a responsável por levar os ingressos a um membro de torcida organizada, que fazia a revenda, quase seis vezes acima do valor previsto para as entradas naquele setor.



A prática veio à tona quando Eliane parou de receber ingressos. Ela teria recorrido a Paulo Serdan, ex-presidente da Mancha Alviverde, dizendo que estava sendo ameaçada. Serdan, que é conselheiro do Palmeiras, levou a história a Seraphim Del Grande, que decidiu abrir a investigação.

De acordo com o início do inquérito do Ministério Público, a dona da Crefisa é uma vítima, já que cedia ingressos gratuitamente na boa fé ao seu aliado político. Seria, portanto, investigado o que aconteciam com os bilhetes a partir de Mustafá.

Não há um prazo para que se encerre a sindicância, mas ela correrá também de acordo com o ritmo das investigações do MP. Mustafá Contursi ainda deve ser ouvido.

Embora seja uma das figuras mais influentes no clube, o ex-presidente recebeu duros golpes recentemente. Além de vir à tona o caso de cambismo, em que é uma das peças-chave da investigação, o conselheiro sofreu derrotas inesperadas na votação para a reforma estatutária, na semana passada.

O possível envolvimento neste caso de cambismo o afastou de Leila Pereira e de seu marido, José Roberto Lamacchia. A relação mudou também com o presidente Maurício Galiotte, que recebeu apoio decisivo de Mustafá para ser escolhido o sucessor de Paulo Nobre.

O investimento na profissionalização do clube, e a manutenção de Alexandre Mattos no comando do futebol, por exemplo, são duas ações do dirigente que desagradam Mustafá. Antes muito próximos nos primeiros meses da atual gestão, os dois agora estão mais distantes. Contursi, porém, segue como membro do Conselho de Orientação e Fiscalização e do CD.

Fonte: Lance!
Clique para ver a matéria no site fonte