Publicada em 02/11/2017, às 17:26

Ainda sem ritmo, Cícero aprova atuação como centroavante: "Caí para dentro"

Meio-campista lamenta as duas chances claras perdidas na derrota para o Barcelona-EQU, mas ganha elogios e confiança do técnico Renato Gaúcho

Cícero fez a função de Lucas Barrios como centroavante (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Pela primeira vez depois de muito tempo, os gremistas souberam a escalação bem antes da previsão protocolar. Logo na chegada da delegação à Arena na noite de quarta-feira, para o segundo jogo da semifinal da Libertadores contra o Barcelona-EQU, o volante Cícero confirmou a própria presença na partida para substituir o lesionado Lucas Barrios, com um estiramento na coxa direita. Mesmo como centroavante, o meio-campista avaliou a atuação como positiva ao "cair para dentro" na função.

Após o encerramento do duelo e a classificação à final contra o Lanús, Cícero explicou que já havia atuado mais à frente com Renato Gaúcho, no Fluminense. Ele teve duas das melhores chances do Tricolor para ao menos evitar a derrota para os equatorianos, mas errou uma cabeçada e um chute com a perna direita, ambos frente a frente com o goleiro Banguera.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



– O Renato perguntou para mim se dava para fazer aquela função, como ele já tinha me usado em umas partidas no Fluminense. Eu falei para ele que estava na chuva para me molhar e caí para dentro. Acho que a participação foi boa, tirando, lógico, as duas oportunidades que tive ali de gol. Mas o importante foi poder ter contribuído para alguma coisa. Se a bola entra, todos estavam falando que o Cícero de atacante foi bem – disse o jogador.

Na entrevista coletiva, o treinador justificou a escolha. Disse que Cícero ainda sofre com a falta de ritmo de jogo, mas escalou-o por inúmeras qualidades. Como é de praxe, Renato frisou que o meio-campista tem potencial para "ajudar bastante" o Grêmio nas finais da Libertadores – ele não pode atuar no Brasileirão.

– Quanto ao Cícero, uma coisa precisa ser entendida. As pessoas, às vezes, não param e pensam que momento está vivendo o jogador. Ele está parado há praticamente três meses. Jogou alguns minutos no Equador, então, falta ritmo. Aí vão me perguntar por que ter começado com ele? Porque tem muitas qualidades: chuta bem, tem uma bola aérea muito boa, protege bem, mexe, abre espaço para jogar. Vai nos ajudar bastante, pode ter certeza – destacou Portaluppi.

O Grêmio se reapresentou na tarde desta quinta-feira no CT Luiz Carvalho para iniciar a preparação ao duelo com o Flamengo, no domingo, às 17h, na Arena, pela 32ª rodada do campeonato nacional. A primeira partida da final da Libertadores será em Porto Alegre, no dia 22, e a segunda, na Argentina, no dia 29.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte