Publicada em 01/11/2017, às 11:07

Corinthians tem 'trunfo' na reta final, mas ainda trabalha para conter lado emocional

Na liderança da tabela com 59 pontos, cinco a frente do segundo colocado, Timão se prepara para as últimas sete rodadas

(Foto: Marco Galvão/Foto Arena)

O Corinthians quer atuar na maior intensidade possível no Derby de domingo (5 de novembro), às 17h (de Brasília), na Arena Corinthians. Com a parte física em dia, como garantem membros da comissão técnica, a saída durante a semana de treinamentos será trabalhar a parte da confiança dos atletas, em baixa devido à sequência de maus resultados na competição.

Com apenas um ponto conquistado nos últimos 12 disputados, o técnico Fábio Carille vive o dilema entre cobrar de forma mais dura ou adotar uma forma mais carinhosa de tratar os comandados. A ideia é que todos entrem em campo com a noção de que os 59 pontos na tabela de classificação ainda são resultantes de um desempenho muito acima do esperado no torneio.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



“Parte emocional acho que vai muito de cada atleta, de como cada atleta absorver a informação. Cada atleta absorve as coisas de uma forma”, disse o lateral direito Fagner, que endossou a posição dos chefes e não apontou qualquer problema físico no elenco.

“Na parte física não tem o que ser questionado, uma equipe que vem correndo muito. Não se vê nenhum jogador nosso caindo com câimbra, não tem o que argumentar com relação a isso”, assegurou o defensor, que tem a seu favor o fato de apenas dois atletas (Vilson e Marquinhos Gabriel) estarem entregues ao departamento médico.

Recentemente, quem mais sofreu com as cobranças a esse respeito foi o meia Jadson, considerado “gordinho” em comentários nas redes sociais. Visto como um exemplo para os mais jovens, porém, o camisa 10 tem hoje o mesmo peso que tinha na vitoriosa campanha de 2015, quando foi um dos destaques ao lado do armador Renato Augusto.

“O nosso grupo tem muito jogador experiente, muitos jogadores passaram por inúmeras situações em outros clubes. Ninguém acreditava que o Corinthians ia chegar onde chegou, qualquer um. No dia 5 de janeiro, eu duvido que alguém falaria que a gente estaria onde estamos. Vamos agora continuar a nossa caminhada”, continuou Fagner.

“Para outra equipe repetir o turno que o Corinthians fez, não sei o quanto vai demorar nem quando vai conseguir. O que acontece é que, fazendo um turno como nós fizemos, pensaram que fossemos resolver rapidamente a situação”, observou o camisa 23, antes de demonstrar confiança nos cinco pontos de diferença para o arquirrival Palmeiras, adversário do final de semana.

“A gente sabe como é no Brasileiro, só se decide nas últimas rodadas. Temos real consciência do que nós fizemos de bom e do que nós podemos fazer de melhor agora. Se você estivesse perdendo jogos e em uma situação ruim de treinos, ai ficaria complicado, mas, sabendo da qualidade do grupo, a gente fica mais tranquilo para esses sete jogos”, concluiu.

Fonte: Fox Sports
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Carille revela que posição é prioridade na busca por reforços do Corinthians; veja
- Carille foi perguntado sobre Gabigol, elogiou o atacante e disparou: "Gosto desses desafios"
- Carille é direto e revela que jogador não gostaria de perder de jeito nenhum no Corinthians
- Escolhido por Carille, Cássio será o primeiro goleiro a levantar taça do Brasileiro pelo Corinthians
- Leia mais notícias sobre Corinthians em www.futnet.com.br/corinthians

Mais sobre - Corinthians