Publicada em 24/10/2017, às 16:39

Presidente do Santos esclarece "caso Levir" e detalha conversa com técnico e elenco

Modesto Roma Júnior diz que em nenhum momento o treinador foi demitido, mas confirma reunião e preocupação com possível "perda do vestiário"

Levir Culpi, técnico do Santos (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press)

A confusão envolvendo a possível demissão de Levir Culpi, técnico do Santos, ainda tem dado o que falar, considerando que a saída chegou a ser noticiada e posteriormente negada pela diretoria. No "Redação SporTV" desta terça-feira, o presidente do clube, Modesto Roma Júnior, fez um esclarecimento sobre o assunto e mais uma vez garantiu que em nenhum momento o técnico perdeu o cargo.

Em conversa com o apresentador André Rizek, o dirigente definiu o episódio como "barrigada" (quando a imprensa noticia algo errado ou falso), mas confirmou que houve uma reunião da diretoria na sexta-feira, admitiu uma preocupação com possíveis problemas no vestiário e deu detalhes do dia e das conversas que teve com Levir e com o elenco.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



- O que houve foi uma precipitação dos companheiros de imprensa. Não existia nenhuma demissão porque a gente não faz aquela abominável demissão por telefone, demissão por carta, demissão por recadinho. Nós conversamos com as pessoas, e alguns jornalistas se precipitaram e deram a notícia que não existia porque acharam que ia acontecer. Alguns produtores e jornalistas me ligaram pessoalmente. Tenho por hábito atender a todos. Do SporTV, a Laura me ligou e disse: "Não tem nada, estou esperando o Levir chegar de viagem para conversar com ele". As pessoas se precipitaram, soltaram a notícia. Essa pressão que existe nas redações pelo furo é algo que às vezes provoca essas barrigadas que a gente viu que aconteceram na semana passada - afirmou.

Em detalhes, Modesto Roma Júnior relatou o que aconteceu na sexta-feira, dia seguinte ao empate em 1 a 1 do Peixe com o Sport, na Ilha do Retiro. Segundo ele, houve uma reunião da diretoria na qual tratou-se da possível saída de Levir. Ao vivo no "Redação SporTV", Modesto ouviu a versão apurada por Rizek, de que, no encontro entre diretores do Peixe, houve uma decisão pela saída do treinador, mas que o presidente, após a conversa, teria optado por manter o técnico. O dirigente respondeu que foi "quase isso" que ocorreu, explicando que foi consenso a necessidade de uma conversa com o treinador. No entanto, o dirigente insistiu que não houve uma comunicação da demissão. E, posteriormente, uma readmissão.

- Quase isso... na realidade, tivemos a reunião e decidimos que eu conversaria com o Levir para esclarecer os fatos, não com uma demissão decidida, mas com a preocupação de todos nós que precisávamos reverter o quadro. Existiam histórias de que o Levir teria perdido o vestiário, existiam algumas coisas que precisavam ser esclarecidas. Tivemos a reunião sim, conversamos, mas sem decisão. A decisão de conversarmos, todos nós, com o Levir Culpi. As pessoas viram que tivemos uma reunião e concluíram que nós tínhamos demitido. É conclusão precipitada. Não fizemos as coisas aqui escondidas, fazemos às claras. Decidimos conversar. Fui, conversei com o Levir, conversei com Dagoberto Santos (superintendente de futebol), Alexandre Ceolin (coordenador de futebol), Luiz Antônio Capella (gestor), esclarecemos os fatos - contou.





Em seguida, o presidente contou sobre a conversa que teve com o treinador. Modesto diz que Levir descartou qualquer problema no vestiário, o que foi confirmado em conversa com os jogadores. Ele chegou a citar trechos do diálogo.

- Uma das coisas mais fortes, e perguntei ao Levir: "Você está com algum problema no vestiário, tem alguma situação disso?". "Não presidente, não tem nada. Felizmente estou muito confortável no vestiário". Isso que queríamos saber. Nesse momento, alguém do staff disse que os jogadores estavam esperando no auditório e perguntou: "O que digo para eles". Não diz nada, vou lá conversar e dizer as coisas para eles. Fui lá, conversei com os jogadores, expliquei com essa clareza que estou explicando agora, e os jogadores se manifestaram e disseram: Isso é verdade, todos estamos satisfeitos com Levir, todos jogamos com o Levir, ele deu oportunidade a todos, não temos por que ter alguma restrição aele. Foi uma conversa muito boa, conversamos de outros assuntos também - contou.

Com experiência como jornalista, Modesto destacou a importância de esclarecer os detalhes do caso, mas tratou com naturalidade a confusão, embora tenha considerado um erro por parte da imprensa.

- Às vezes as pessoas começam a criar histórias para poder justificar a barrigada, é normal isso, acontece. Acho que todo mundo que trabalha na nossa profissão sabe que às vezes a gente erra, é normal errar, como jogador erra, treinador erra, jornalista também erra, e isso não é um pecado mortal, faz parte da profissão. Todo mundo está na busca de acertar, embora às vezes a gente cometa erros (...) É importante vir e conversar. Todos nós temos responsabilidade com opinião pública, não adianta se esconder porque nossa obrigação, igual a de vocês, é pôr a verdade na mesa em respeito a toda a imprensa, ao torcedor, aos trabalhadores do futebol... tem que ter isso em mente sempre. Às vezes, a gente julga sem conhecer todos os fatos, é inerente no ser humano fazer esse julgamento. Na hora que a gente conhece, às vezes até muda de opinião. Mais importante do que tudo é reconhecer que pode mudar de posição, isso é mais importante que a teimosia de se manter no erro - completou.

Após toda a confusão, o Santos voltou a campo no domingo e venceu o Atlético-GO por 1 a 0, na Vila Belmiro, resultado que deixou o clube na terceira colocação do Campeonato Brasileiro, com os mesmos 53 pontos do Palmeiras e a seis do líder Corinthians. A equipe joga novamente no sábado, às 17h, quando enfrenta o São Paulo no Pacaembu.

Fonte: SporTV
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Santos