Publicada em 24/10/2017, às 14:57

Jair lembra do bom returno e ameniza cobranças: "Não era para ligar o alerta"

Técnico do Botafogo não acha que time tenha oscilado na competição e lembra últimos jogos para defender a posição da tabela: "Eu não vi essa oscilação tanto, foram sete vitórias em 11 jogos"

(Foto: Divulgação/Botafogo)

Depois de dois jogos, o Botafogo voltou a vencer no Campeonato Brasileiro e se manteve muito vivo na luta por uma vaga na Libertadores. O placar de 2 a 1 sobre o líder Corinthians, na noite desta segunda-feira, foi muito comemorado pelo técnico Jair Ventura, que fez questão de destacar o rendimento da equipe no segundo turno.

- Se a gente analisar a situação do returno, voltamos a ser o líder. Eu não vi essa oscilação tanto, foram sete vitórias em 11 jogos, número muito expressivo. Tivemos dois jogos sem vencer, não era para ligar o alerta por conta disso, não. O que deixa a gente mais contente é quando consegue vencer e convencer.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Sobre a polêmica no fim do jogo, quando Jô foi caiu na área e pediu pênalti, Jair minimizou o fato e disse que seria injusto um resultado que não fosse a vitória do Botafogo.

- Sigo minha linha de não falar de arbitragem. Tirar essa vitória do Botafogo por um lance no último minuto seria injusto. Não existe justiça no futebol, mas faz parte. Se alguém discordar que a gente não mereceu a vitória aqui, queria ouvir de vocês - questionou o técnico, lembrando de outra polêmica no duelo do primeiro turno na Arena Corinthians.

- Lá também teve um lance meio duvidoso... Ah, não posso falar (risos). Mas teve um pênalti fora da área que foi marcado dentro. Já passou.

Confira mais tópicos da coletiva:

TIME COMPETITIVO
Vimos duas equipes buscando o jogo, finalizamos quase o dobro do que nosso adversário, jogamos melhor e merecemos a vitória. Vencemos muitos times que estão acima da gente, temos feitos bons resultados contra essas grandes equipes também. E contra o líder. Vai ser muito difícil jogar com Atlético-MG lá, vai ser muito difícil, tivemos duas perdas, Lindoso e o Marcos. Mostra como somos fortes.

RENDIMENTO
Está entre nossos melhores jogos do ano, uma grande apresentação. Gostei mais do primeiro tempo, no segundo por conta do gol a gente muda um pouco a estratégia. Jogos que tivemos mais posse de bola perdemos. No primeiro tivemos mais o controle, no segundo conseguimos logo o gol, quando fizemos o segundo botaram dois homens de área, aí acabou o jogo.

BRENNER
O Roger faz falta da mesma maneira. Fico feliz do Brenner viver esse momento, os dois seria o ideal. Tem o Igor Cásiso do Sub-20 que está machucado e seria uma opção. Infelizmente não tenho, mas em breve o Roger vai estar treinando. E o Brenner vem fazendo os gols, ajudando a gente. Vive um grande momento.

MARCOS VINÍCIUS
Vem crescendo bastante. Quando o Neílton chegou também para a gente tinha pouquíssimos jogos como profissional. O Marcos demorou um pouco para pegar por ter jogado pouco, o que a gente chama de lastro no futebol, é importante. O Bruno por exemplo joga 90% no ano. O Marcos tem muita qualidade, demorou para pegar pela intensidade que a gente joga, ter obrigação de marcação dos 11 adversários, mas é um meia clássico, jogador que a gente estava buscando depois das saídas do Montillo e Camillo. Fez um jogo coletivo muito bom, tem que buscar esse equilíbrio. Uma pena que tomou o terceiro amarelo e vai ser um grande desfalque.

OBJETIVO
Sigo minha linha de fazer jogo a jogo. Respeito opinião dos meus atletas, não vou impor o que eles têm que falar. Na maioria das vezes temos mesmo pensamento (risos). Vamos jogo a jogo. Fico pensando: quem bom essa pressão de brigar pela Libertadores, antes era para não ser rebaixado. Hoje alcançamos número mágico de 47 pontos. Que bom estar disputando em cima.

TÍTULO POSSÍVEL?
Quem não está acostumado com pressão não pode trabalhar com futebol. Não penso no título, mas se ele chegar... Ano passado não pensei em Libertadores e chegamos. Tem muita coisa para acontecer. Campeonato muito equilibrado, sempre detalhes, difícil placar elástico. Por isso o campeonato mais disputado do mundo. Tudo aberto, pode acontecer tanto pra parte boa quanto ruim.

JOGADA ENSAIADA
Torcida vaiou (risos), por um detalhe não saiu o gol. Na Libertadores fizemos e minha orelha chegou a ficar vermelha.

BRUNO SILVA
Gostei muito do jogo do Bruno contra o Avaí. No do Vasco de repente não, contra Avaí gostei. Difícil manter regularidade em um campeonato tão competitivo. Jogador diferenciado fisicamente, está vivendo grande momento. Está no melhor momento da carreira, e poder contribuir para isso me dá alegria, ajudar seus atletas.

SUBSTITUIÇÕES
Gilson vem fazendo mais de uma função, como meia ou como externo. taticamente muito bom, com poder de decisão no terço final. Pelo elenco ser enxuto acaba usando os mesmos jogadores, por outro lado consegue deixar o grupo mais homogêneo. Grupo muito grande atrapalha, estamos um pouquinho abaixo do que vemos como ideal, mas jogadores com total comprometimento.

MANDANTE INDIGESTO
A gente está entre os melhores mandantes. Comprova uma situação de ser uma equipe só de transição, essa vence mais fora do que em casa. A gente consegue propor o jogo, temos maneiras de jogar. Trabalho muito isso com meus atletas. E por estar há um ano e dois meses com grupo facilita bastante. Fico feliz de ser um dos melhores mandantes, mas tem que ter equilíbrio.

ELENCO ENXUTO
Nunca falo de desculpas. Mas tanto jogador que a gente perdeu fica evidente, jogadores importantes. E ninguém quer saber. A pessoa que vai lá pressionar, reclamar, para ela a gente tem que dar um jeito. Muitas vezes a pessoa tem facilidade de apontar o problema, mas não te dá a solução. Eu fazia muito isso como auxiliar, fazia a observação. O treinador falava: "Você me deu o problema, agora me dá a solução". É muito mais difícil, e o treinador é pago para isso. Treinador tem que chamar a responsabilidade, nas horas boas é mais fácil, na vitória fica mais bonito.

Mas fazem falta todos que perdemos. Mas é um elenco, apesar de enxuto, com qualidade. Hoje a gente não tinha nem 23 no banco. Na outra viajamos com um jogador a menos. É bom falar agora que vencemos. Começamos o ano antes, pelas equipes que enfrentamos. O Colo-Colo para mim foi a melhor equipe que enfrentamos em toda Libertadores, uma equipe muito técnica, e conseguimos a vitória. É uma situação difícil manter esse padrão o ano todo.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte