Publicada em 23/10/2017, às 17:28

Nove anos depois, Renato vive revanche com carrasco em luta pelo tri com Grêmio

Técnico tem reencontro com responsável por derrota para a LDU em 2008. Cevallos, presidente do Barcelona, por outro lado, também tem sua missão

Renato foi protagonista na campanha do vice da Libertadores (Foto: Getty Images)

Renato Gaúcho vive um clima de ansiedade antes de iniciar a disputa das semifinais em busca de seu primeiro título de Libertadores como técnico. E para manter vivo esse sonho, terá de acertar contas no reencontro com um antigo carrasco. O atual presidente do Barcelona, de Guayaquil, é ninguém menos que José Francisco Cevallos. O goleiro da LDU na final de 2008 contra o Fluminense do técnico, e que tem uma dívida com o próprio clube equatoriano.

O treinador não esconde de ninguém que a derrota na decisão há nove anos, em pleno Maracanã, nos pênaltis, ficou engasgada. Repetiu isso ao participar do programa Bem, Amigos!, do Sportv, no início do ano. Agora tem a chance de chegar à outra final e, quem sabe, conquistar o tão almejado título. O ex-goleiro e agora presidente e o treinador se reencontram novamente nesta quarta-feira, na primeira partida das semifinais da competição, no estádio Monumental.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Gratidão à LDU, paixão pelo Barcelona
Cevallos foi o grande personagem do título da LDU dentro do Maracanã. Depois de perder por 4 a 2 no Equador, o Fluminense reverteu o placar no Rio com um 3 a 1 sobre os equatorianos. Mas, nos pênaltis, Thiago Neves, Washington e Conca pararam no goleiro. Naquela que era a última chance para ele. Aos 38 anos, tinha sido vice-campeão da América 10 anos antes, justamente defendendo as cores do clube que preside hoje em dia.

– Claro, ele (Cevallos) tem uma dívida pendente com o Barcelona por não ter sido campeão da América. Está fazendo um bom papel como dirigente. Está colocando a casa em ordem – disse Marcelo Ramírez, torcedor barcelonista, ao GloboEsporte.com.

– Desde que chegou na presidência, Cevallos conseguiu superar muitos problemas que a administração anterior deixou. Tem pago dívidas, trouxe bons jogadores e deu título de campeão em 2016. Sempre disse que é muito agradecido à LDU, mas trabalhou lá como profissional. É torcedor do Barcelona – completou o jornalista Victor Bonilla, do portal Studio Fútbol.

Além de presidente do Barcelona, o clube mais popular do Equador, Cevallos também se tornou um político de destaque no país. É o atual governador da província de Guayas, o maior centro comercial e industrial equatoriano. Chegou a ser ministro do Esporte durante o governo de Rafael Correa. E ao ser confirmado para o cargo em maio desse ano, descartou deixar o comando do clube. Ainda mais em ano de Libertadores.

"Vamos brincar no Brasileirão"

Em 2008, o time do Fluminense tinha diversos nomes importantes, como Conca, Thiago Neves e Washington. Um deles, curiosamente, está novamente ao lado de Renato: Cícero, contratado pelo Grêmio apenas para a disputa da Libertadores nos três derradeiros meses de 2017. Mas o principal personagem daquela campanha sem dúvida foi Renato. O treinador vivia o auge como técnico e também como frasista.

Diversas entrevistas mostravam Renato confiante no título mesmo após largar em desvantagem na decisão da Libertadores. Frases como "nós seremos campeões no Maracanã" pipocaram da boca do técnico. Mas o treinador viu seus planos frustrados justamente pelas mãos de Cevallos, que defendeu três cobranças de pênalti na decisão. Foi durante a disputa da Libertadores há nove anos que o treinador largou a célebre frase:

– Nós vamos brincar no Brasileirão.

Planejava ganhar a América, mas o Fluminense acabou sem o inédito título e em uma briga ferrenha contra o rebaixamento mesmo com um elenco estrelado justamente pelas escalações alternativas nas primeiras rodadas do Brasileirão. Renatou acabou demitido em setembro daquele ano, antes do término do campeonato. Mais maduro e muito mais comedido nas declarações, espera escrever uma história diferente desta vez, pelo Grêmio.

O Tricolor chegou a Guayaquil na madrugada desta segunda-feira. Com a volta de Luan e Michel, Renato pode escalar a equipe ideal para o confronto. A dúvida é se o volante, que fez sua primeira partida após a cirurgia no joelho contra o Palmeiras, começa jogando. O camisa 7, por já ter atuado em duas partidas, será titular. A provável escalação tem Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann e Cortez; Michel (Jaílson ou Cícero), Arthur, Ramiro, Luan e Fernandinho; Barrios.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte