Publicada em 11/10/2017, às 15:16

René Simões anuncia fim da carreira como técnico e vira coach de Carille

Treinador, que levou Jamaica à Copa de 98 e foi prata com a seleção feminina em Atenas 2004, troca de profissão e passa a trabalhar como "mentor" do comandante do Corinthians

René Simões anunciou o fim da carreira como técnico; agora tem se tornado uma espécie de "mentor" dos treinadores (Foto: Reprodução/Facebook)

René Simões não voltará a treinar mais nenhuma equipe no futebol brasileiro. Aos 64 anos, ele anunciou o fim da carreira como técnico e afirmou que, agora, tem se dedicado exclusivamente ao seu projeto de "coaching" esportivo.

René, inclusive, afirmou que atualmente tem trabalhado como "mentor" de cinco treinadores do futebol brasileiro, incluindo o comandante do Corinthians, Fábio Carille.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

- Da carreira de técnico eu sai. Me aposentei. Agora eu trabalho como coach. Trabalho atualmente com seis treinadores. Cinco no Brasil e um na Jamaica. Só quem eu posso falar é o Fábio Carille, do Corinthians, e o Lucho Nizzo, do America-RJ. O restante eu não posso falar ainda porque eles não divulgaram - afirma o treinador ao GloboEsporte.com por telefone.

De acordo com René Simões, o trabalho com o técnico Fábio Carille tem sido feito desde o início do ano, quando acabou saindo do Macaé-RJ. No último mês de julho, por exemplo, ele visitou o Centro de Treinamento do Corinthians para fazer uma visita ao "pupilo".

- Eu não falo de partida tática, técnica, de escalação de jogadores. Eu só falo da parte comportamental, como administrar o ego, gerenciar conflitos, a questão do media training. Também faço apresentação de palestras, de vídeos motivacionais. De vez em quando eu faço uma visita. Mas fazemos esse trabalho também pelo Whatsapp, pelo Skype - diz René.

Além de Fábio Carille, René Simões ainda conta que tem desempenhado o trabalho com empresários de outros ramos e revela como o processo ajudou no retorno do tradicional America à elite do Campeonato Carioca recentemente.

- Além dos técnicos, eu faço esse trabalho de coaching com uma pessoa de Miami (nos Estados Unidos), além de empresários. É uma ferramente excepecional. Fazemos a avaliação da pessoa, como é a sua empatia, os seus atributos, os seus valores, o comportamento. No America, faltavam sete rodadas para acabar a fase de classificação. O America estava em uma situação horrível e fizemos esse trabalho com o Lucho. Deu muito certo - conta o ex-treinador atualmente morando na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

A carreira

René Simões acumula passagem por diversos clubes ao longo da carreira, como Coritiba, Bahia, Ceará, Figueirense e Atlético-GO. No Rio, ele foi técnico do Flu, entre 2008 e 2009, e do Botafogo, em 2015, durante a Série B. Também comandou as seleções da Costa Rica, Honduras, Irã, além de times do Catar, de Portugal e do Kuwait. No Vasco e no São Paulo, exerceu cargo de diretor.

Entre os principais feitos está uma medalha de prata com a seleção brasileira feminina nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, e uma classificação para a Copa do Mundo de 1998, na França, à frente da Jamaica.

O último trabalho de René Simões aconteceu no início deste ano pelo Macaé. No entanto, ficou apenas quatro jogos à frente da equipe no Campeonato Carioca e acabou demitido pelo clube, que foi rebaixado para a Seletiva do estadual.

- Já estava na hora (de parar). No Macaé, o presidente era completamente maluco. É um dos mais loucos que eu já conheci. Eu avisei antes de começar que a gente tinha que se reforçar. Mas ele falou que o time era um dos mais caros que ele já tinha montado. Deu no que deu - disse o treinador, que agora sonha apenas em expandir o seu projeto na nova profissão.

- É isso, eu quero expandir, porque não tem ninguém que faça esse trabalho - encerra René.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- 'Não é queda de rendimento'. Cássio explica: da ida à área à fase do Timão
- Corinthians desembarca após derrota na Bahia e admite missão: secar rival
- Após 40 anos, gol histórico de Basílio vira até obra de arte para corintianos
- Corinthians conta com volta de Gabriel e tem cinco pendurados diante do Grêmio
- Leia mais notícias sobre Corinthians em www.futnet.com.br/corinthians

Mais sobre - Corinthians