Publicada em 10/10/2017, às 15:09

Fantasma do "Galo Doido" vem atrapalhando o Atlético-MG no Horto

Estilo ofensivo não vem dando certo no elenco de 2017. Para Oswaldo de Oliveira, ainda não é o momento de atuar assim, enquanto Fábio Santos vê time mais equilibrado em 2017

Estilo Galo Doido do Atlético-MG na época ficou conhecido pela virulência e agressividade ofensiva (Foto: Marcos Ribolli)

Entre 2012 e 2015, sob a batuta de Ronaldinho Gaúcho, o estilo ofensivo do Atlético-MG encantou o Brasil e mostrou uma força muito grande da equipe jogando no Independência, quando foi criado o bordão "Caiu no Horto, tá morto". Com muita movimentação e pressão, os comandados de Cuca implantaram um estilo que a torcida denominou "Galo Doido" e rapidamente caiu no gosto dos torcedores.

Na atual temporada, com um elenco recheado de talentos e jogadores consagrados, a torcida esperava ver mais uma vez um time empolgante, principalmente jogando em casa. No entanto, a sequência de resultados ruins vem deixando o torcedor desconfiado e irritado. Fato que faz as lembranças do "Galo Doido" voltarem constante.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



As características do time anterior e o atual são bastante diferentes, é por isso as falhas constantes de tentar emplacar o "Galo Doido" não tem dado certo. O time atual é mais lento e técnico, enquanto as equipes das temporadas anteriores usava mais velocidade, com todos os jogadores atacando e defendendo, sempre com muita vontade.

Atual comandante, Oswaldo de Oliveira entende que o momento não é de voltar com o antigo estilo de jogo e pede mais tranquilidade para controlar às ações durante os jogos.



- Nada é definitivo. Não é o momento de fazer isso, ainda. Vamos chegar lá, mas temos que ultrapassar obstáculos na construção desse time novo. São excelentes jogadores, mas que não tem uma maneira aprovada de jogar para fazer o que o Atlético-MG fazia. Os componentes são muito bons, mas a gente precisa ter uma mistura homogênea.

Fábio Santos, que quando defendia enfrentou o "Galo Doido" por diversas vezes, garante que o Atlético-MG de hoje até tenta ser como o de antes, mas não consegue por uma explicação.

- A gente, por alguns momentos, até consegue impor, mas não consegue fazer os gols nesses primeiros minutos. Pelo contrário, a gente tomado os gols e isso acaba prejudicando a nossa equipe. A equipe fica ansiosa, nervosa e acaba tomando decisões equívocadas. Mas muito desse Galo Doido anteriormente, até mesmo no ano passado, a gente botava uma pressão grande nos adversários e depois diminuia. A característica dessa equipe é de ter mais a posse de bola, são passes mais trocados, jogadas de infiltração e não tanta velocidade. Vamos ser se a gente consegue sair na frente dentro de casa para dar tranquilidade para o nosso torcedor - destacou.

Galo Doido ou não, o Atlético-MG precisa vencer o São Paulo nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Independência, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time alvinegro ocupa a nona posição, com 34 pontos, três a mais do que o Tricolor, que está em 14º.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte