Publicada em 04/10/2017, às 13:42

A. Torres evita política e elege lesões como 'principal vilão' do Flu em 2017

Gerente de futebol foi quem concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira, no CT, horas após o anúncio da exoneração de Fernando Veiga do cargo de vice-presidente de futebol

Alexandre Torres deu coletiva no CTPA nesta quarta-feira Foto: Nelson Perez/Fluminense F.C.)

A crise no Fluminense já ultrapassou o limite das quatro linhas há muito tempo. Vindo de uma série de resultados ruins no Brasileirão, a equipe de Abel Braga está a um ponto da zona de rebaixamento. Mas, na reapresentação do elenco após dois dias de folga, o destaque foi a saída de Fernando Veiga do cargo de vice-presidente de futebol. A missão de conversar com a imprensa no CT foi de Alexandre Torres, gerente de futebol, que evitou comentar a política do clube.

- Não gostaria de comentar da situação política do clube. Na hora certa o presidente vai se pronunciar - assim abriu a entrevista Alexandre Torres.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



A exoneração de Fernando Veiga foi anunciada pelo Tricolor nesta manhã, um dia após o diretor ter um áudio vazado na internet em que comenta a situação financeira do clube. Em seu site, o Fluminense agradeceu os serviços prestados.

O presidente Pedro Abad, que acumula os cargos enquanto um novo nome não é anunciado para a pasta, publicou uma nota em suas redes sociais.

Quando o assunto foi futebol e a queda no desempenho do Fluminense no segundo semestre, Alexandre Torres não fugiu das respostas. Com serenidade, o gerente deu um voto de confiança aos jogadores e ao técnico Abel Braga. Para Torres, o Tricolor tem todas condições de recuperar-se no Brasileirão.

- Reconheço que o momento é difícil para o clube. Nos últimos jogos o time não se apresentou bem, mas eu tenho confiança nos jogadores e no comando do Abel para podermos sair dessa situação - disse Torres, antes de emendar:

- Nesta mesma temporada, há pouco tempo, o time mostrou um bom futebol, que encantou o Brasil. Esteve entre as melhores do Brasileiro e podemos voltar a jogar assim. Contamos com a subida de produção de alguns jogadores e todo mundo aqui do (departamento de) futebol fará todos esforços. Nossa missão é oferecer as melhores condições para o profissional desempenhar o seu papel.

Filho de Carlos Alberto Torres, o Capitão do Tri, Alexandre iniciou sua carreira de jogador no Fluminense - assim como o pai. Hoje, como gerente de futebol, tenta passar sua experiência para o jovem elenco do Tricolor das Laranjeiras.

Avaliando a temporada de altos e baixos dentro de campo, Torres elegeu as várias graves lesões no elenco como principal culpado pela irregularidade da equipe comandada por Abel Braga. Nove atletas passaram por cirurgias.

- Tem vários motivos. Nunca uma equipe cai tanto de produção por um único motivo.O principal motivo da queda foram as constantes lesões sérias, como fraturas, cirurgia, são coisas demoradas. Isso afetou o nosso planejamento, mas estamos trabalhando diariamente para buscar as soluções - analisou.

Fonte: Lance!
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Sob vaias e protestos, Fluminense vence, se alivia e se garante na elite
- Marquinho sofre lesão em joelho operado em 2017 e aguarda exames
- Contra o pior visitante do BR-17, Flu quer acabar com a ameaça do Z4
- Por um 2018 melhor, Abel e Dourado cobram mudanças no planejamento
- Leia mais notícias sobre Fluminense em www.futnet.com.br/fluminense

Mais sobre - Fluminense