Publicada em 12/09/2017, às 13:32

Erros recorrentes explicam oscilação do Flu no Campeonato Brasileiro

Tricolor das Laranjeiras deixa Abel Braga insatisfeito com vacilos defensivos e deixa escapar nova chance de encostar no G-6 do Campeonato Brasileiro

Abel Braga orienta jogadores durante treino do Fluminense (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)

Os meses passam e o Fluminense continua a apresentar os mesmos erros sob o comando de Abel Braga. A oscilação dentro do Campeonato Brasileiro, que impede o Tricolor de entrar no G-6 desde a quinta rodada, tem dois motivos principais: os gols sofridos pelo alto e nos minutos finais das partidas.

O técnico já admitiu que a bola aérea é uma dificuldade do seu time, mas classificou o lance como "o mais difícil de ser marcado no futebol". No entanto, os gols sofridos no empate em 2 a 2 com o Vitória deixaram Abel Braga mais insatisfeito do que o de costume. O segundo do rival, aos 48 do segundo tempo, em especial.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

- Houve um erro grave da minha equipe no segundo gol do Vitória, um erro tático. Reclamei que a jogada é treinada, toda equipe faz isso, a defesa tem que fazer a linha da bola e se essa bola é atrasada, tem que sair até a linha - avaliou Abel.

Com histórico vitorioso pelos clubes que passou, Abel tem na Sul-Americana a única chance de conquistar um título com o Tricolor em 2017: a Copa Sul-Americana. O treinador, confiante que sua equipe não repetirá os erros diante da LDU, alerta para as dificuldades que o time equatoriano pode impor ao Fluminense na quinta-feira.

- Agora é mudar a ficha porque na quinta tem a LDU, um adversário difícil, tem histórico positivo contra o Fluminense, o torcedor não gosta de jeito nenhum e temos que fazer muito melhor para sair do Maracanã com um bom resultado.

Gols no fim

Contra o Vitória, o gol de Kanu nos acréscimos impediu o triunfo do Fluminense por 2 a 1. Não foram os primeiros pontos que o time de Abel Braga perdeu no fim de jogos no Brasileirão. Por exemplo, o Tricolor levou um gol de empate diante do Bahia, no empate por 1 a 1 em Salvador, aos 39 minutos da etapa final.

Nos clássicos não foi diferente. Um gol de Nenê aos 48 minutos do segundo tempo definiu o triunfo de 3 a 2 do Vasco, em jogo que o Flu vencia por 2 a 1 até metade do segundo tempo. Contra o Flamengo, foi o lateral-esquerdo peruano Miguel Trauco, que igualou o placar para o Flamengo aos 49 minutos do segundo tempo.

Problema sem solução

O "caos aéreo" não é uma novidade no Fluminense. Desde o início da temporada, Abel Braga tem sofrido para resolver o problema defensivo do Tricolor, que tem uma das defesas mais vazadas no ano entre os times da Série A do Brasileirão.

Mas a dificuldade tricolor começou ainda no Carioca, e Abel tem quebrado a cabeça para arrumar soluções. Na zaga, o técnico já testou Frazan, Nogueira, Renato Chaves e Reginaldo - muitas vezes por conta de lesões - ao lado do capitão Henrique, o único que ainda não foi para a reserva.

Fonte: Lance!
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Pagode no ônibus, bandeira no avião e recepção da torcida: Flu volta ao Rio
- Pedro, o herói do Fluminense: 'Eu estava precisando e o grupo merece'
- Que venha o Flamengo! Flu espanta 'fantasma da LDU' e avança na Sula
- Fluminense prorroga contrato de Mateus Norton até o fim de 2020
- Leia mais notícias sobre Fluminense em www.futnet.com.br/fluminense

Mais sobre - Fluminense