Publicada em 20/04/2017, às 18:32

Pinotti vai ser diretor-executivo de futebol do São Paulo ao lado de Raí

inícius Pinotti já viajou com o time para Belo Horizonte na terça-feira

(Djalma Vassão/Gazeta Press)

Diretor de marketing do São Paulo desde o ano passado, Vinícius Pinotti terá novo cargo após a reeleição de Leco como presidente. Embora não confirme oficialmente, Leco vai transformar Pinotti em diretor-executivo de futebol do Tricolor, para atuar ao lado de Raí – o ídolo ficará com um dos três cargos no Conselho de Administração sob indicação do presidente.

Pinotti, inclusive, já viajou para Belo Horizonte ao lado do elenco, para acompanhar o jogo contra o Cruzeiro, pela quarta fase da Copa do Brasil. Além de ter excelente relação com o técnico Rogério Ceni, o empresário ajudou bastante Leco em seu primeiro mandato com o empréstimo de aproximadamente R$ 7 milhões – ele já havia cedido R$ 13 milhões em 2015 para a contratação de Centurión.

Com juros e correção monetária, a dívida do Tricolor com Pinotti hoje é superior a R$ 22 milhões. Um dos acionistas da Natura, Pinotti também teve papel importante para o grupo da situação na busca por votos nos últimos dias. A eleição foi das mais disputadas dos últimos anos e os opositores contaram com o auxílio de gente muito bem-sucedida, como Abílio Diniz.

Leia Mais
- Fiel a trato com Ceni, Gilberto buscou psicóloga para brilhar no São Paulo
- Copa América 2019 será disputada em sete cidades brasileiras
- Treinador de goleiros elogia trio e não vê necessidade de reforço no SP
- Cinco garotos do profissional reforçam time sub-20 do São Paulo na Copa do Brasil
- Leia mais notícias sobre São Paulo em www.futnet.com.br/saopaulo

Os cargos de diretor de futebol e vice-presidente de futebol, ocupados anteriormente por José Jacobson e José Alexandre Medicis, respectivamente, deixarão de existir a partir de agora, de acordo com o novo estatuto do clube. Graças à mudança no regimento interno, Raí e Pinotti terão direito a um salário.

Marco Aurélio Cunha era outro nome bastante cotado para o cargo de executivo do Tricolor, porém, tem contrato com a CBF, onde atua como diretor de futebol feminino. Na última terça-feira, durante a eleição presidencial, o dirigente assegurou que não deixará a CBF – ele ficou no Tricolor nos últimos três meses do ano passado, beneficiado por uma licença.

Fonte: SPFC
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - São Paulo