Publicada em 05/04/2017, às 11:09

Corinthians soma negócios frustrados em 2017; clube observa mercado

Sem Drogba, Pottker e Valdívia, Timão continua busca por reforços para o ataque. Diretoria quer trocas, mas encontra dificuldades para obter sucesso

Valdívia foi a última tentativa frustrada do Corinthians (Foto: Ricardo Duarte / Sport Club Internacional)

O fim da negociação para a contratação do meia Valdívia, do Internacional, é mais um baque para o Corinthians na tentativa de reforçar seu setor ofensivo. Depois de três investidas frustradas, que não deram certo por motivos diferentes, o clube adota a cautela ao observar o mercado e buscar novos nomes para o técnico Fábio Carille.

Antes de Valdívia, outras duas negociações para o ataque tiveram desfecho negativo para o Timão: Didier Drogba, então sem clube, e William Pottker, da Ponte Preta. Por outro lado, o clube conseguiu a contratação de Clayton, do Atlético-MG, em troca por Marlone.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

A ideia do Timão é justamente investir em trocas que não envolvam (ou envolvam pouco) dinheiro. Ainda se recuperando de uma crise financeira, o clube quer aproveitar oportunidades e evitar gastos maiores. Com Valdivia, porém, o entrave foi dentro do CT Joaquim Grava – o meia Giovanni Augusto, que entraria na troca, se recusou a sair.



Com poucas alternativas para esse tipo de transação, o Corinthians se vê em dificuldades. O meia Guilherme, outro que poderia se transferir, também não quer deixar o clube. Apesar disso, a comissão técnica acredita em boas novidades a curto prazo.

– O Corinthians está de olho em tudo. Algumas coisas vão acontecer para o Campeonato Brasileiro. É necessário que a gente fortaleça mais para Sul-Americana, Copa do Brasil e Brasileiro – afirmou Fábio Carille.

Em janeiro, o clube encerrou negociações com Drogba após semanas de conversas e informações desencontradas. Na fase final, o presidente Roberto de Andrade entrou em contato com o jogador marfinense, que ficou de conversar com seus familiares.

Drogba, de 38 anos, teria salário de R$ 380 mil, além de carro blindado, tradutor e bônus em caso de artilharia no Campeonato Paulista e no Brasileirão. O clube também se comprometeria a pagar uma casa para o jogador viver com a família com aluguel no valor de R$ 20 mil mensais. A direção chegou até a cogitar subir os valores para fechar.

A recusa da proposta corintiana, no dia 31 do mesmo mês, gerou uma nota oficial do clube com o título: “Valeu, Drogba”.

Com Pottker, o negócio estava ainda mais adiantado. Corinthians e Ponte Preta chegaram a um acordo, e o atacante se apresentaria depois do Campeonato Paulista – o que não estava nos planos, porém, era a Macaca utilizar o jogador também na Copa do Brasil.

No mesmo dia em que Pottker entrou em campo para enfrentar o Campinense, pelo torneio nacional, o Timão anunciou a desistência e alegou que “não ficaria esperando” o jogador. Até hoje, o Corinthians aguarda um reforço com essas características para o ataque.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Cássio responde críticas, lamenta desfalques e se esquiva sobre Walter
- Após Jadson, Corinthians perde Pablo por contusão por até um mês e meio
- Corinthians já vê Cássio na Seleção: as razões do veto à saída de Walter
- Avaí x Corinthians: prováveis times, onde acompanhar, baixas e palpites
- Leia mais notícias sobre Corinthians em www.futnet.com.br/corinthians

Mais sobre - Corinthians