Publicada em 05/04/2017, às 09:29

Com fissura no pé, Carli está fora da Taça Rio e preocupa para Libertadores

Zagueiro desfalca o Botafogo contra o Fluminense e corre contra o tempo para estar em campo contra o Atlético Nacional, na Colômbia, na volta do torneio sul-americano

Carli vem treinando só internamente, na academia, e poupando o pé direito e exercícios mais pesados (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Há duas semanas, Carli sofria uma pancada de Richarlison e deixava o Clássico Vovô mais cedo. Desde então, não tem sido mais visto. Desfalcou o Botafogo nos últimos três jogos, e continuará fora no reencontro com o Fluminense neste domingo, pela semifinal da Taça Rio. A situação do argentino a princípio não preocupava, mas o GloboEsporte.com apurou que a situação mudou após um segundo exame, desta vez de tomografia, detectar uma fissura no pé direito do argentino. Por isso, ele sequer tem treinado em campo com os demais.

A lesão no osso é pequena. Carli já não sente mais dores e caminha sem mancar. Mas há uma preocupação para evitar uma precipitação e calcificar 100% o pé, de forma a evitar novos problemas. Por isso, o xerife vem sendo poupado não só das partidas, como também dos trabalhos de maior exigência nos treinos. Porém, restam só sete dias para a viagem à Colômbia, e o zagueiro corre contra o tempo para estar à disposição contra o Atlético Nacional, na volta da Libertadores.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

É provável que mesmo sem condições de jogar diante dos colombianos, Carli viaje com o grupo, já que a delegação irá direto da Colômbia para o Equador, onde o Alvinegro enfrentará o Barcelona de Guayaquil. Assim, ele também ficaria fora de uma eventual final do segundo turno do Campeonato Carioca. Em entrevista coletiva na semana passada, o técnico Jair Ventura explicou a cautela com o defensor argentino, mas apostava em um retorno do gringo contra o Resende.



– A dor é muito subjetiva, uma pancada para um é diferente para outro. E foi forte, tanto que ele teve que sair do jogo. A gente não tem porque precipitar uma situação. Se fosse uma final, acho que ele ia para o sacrifício. Lógico que é importante vencer, mas você entende quando fala em correr riscos. Vamos dar o tempo dele, estar 100% para voltar e não sentir a lesão novamente. Foi só a pancada mesmo, nada grave. Domingo já vai estar em melhor condição para jogar – disse, sem acertar a previsão.

O passado serve de exemplo no caso de Carli. No segundo jogo da final do Carioca do ano passado, no dia 8 de maio, contra o Vasco, o argentino sentiu dores na coxa esquerda ainda no primeiro tempo, mas foi até o fim no sacrifício. Porém, o preço veio depois. Ele ficou fora da estreia no Brasileiro e sentiu novamente a coxa na segunda rodada, diante do Sport. Saiu no início do segundo tempo e só voltou a jogar no dia 13 de julho, contra o Bragantino pela Copa do Brasil.

Se Carli não tiver condições de jogo até a partida contra o Atlético Nacional, no dia 13 de abril, Jair pode se ver pressionado a usar Emerson Santos, que perdeu espaço diante do impasse de sua renovação. Seja como zagueiro ou lateral-direito. Isso porque a posição de ala agora está carente no elenco devido às lesões dos três jogadores do setor; e na defesa o titular atual, que é o Renan Fonseca, sequer está inscrito no torneio. Marcelo, que voltou a treinar na terça, deve ser o dono de uma das duas vagas. O jovem Igor Rabello, de 21 anos, é a outra alternativa.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Mata-mata, 100% e goleiros: como o Botafogo chega para a Copa do Brasil
- Botafogo troca seis jogadores para o jogo contra o Atlético-GO
- Lindoso busca valorizar grupo atual e usa Marcos Vinícius como exemplo
- Jair confirma Gatito e Arnaldo fora e fala sobre Camilo: 'Decisão foi dele'
- Leia mais notícias sobre Botafogo em www.futnet.com.br/botafogo

Mais sobre - Botafogo