Publicada em 04/04/2017, às 16:09

Rafael Moura pede mais vibração e diz que falta "algo a mais" ao time do Galo

Atacante comenta "tropeços" do Atlético-MG em jogos considerados importantes

Em busca das vitórias, Rafael Moura quer mais vibração no time do Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini/ Atlético-MG)

Dos 16 jogos do Atlético-MG na temporada, até aqui, três eram considerados mais importantes: os dois clássicos contra o Cruzeiro, pela Primeira Liga, e pela fase classificatória do Campeonato Mineiro, e a estreia do Galo na Libertadores, diante do Godoy Cruz, da Argentina. Em nenhum deles o time de Roger Machado conseguiu vencer. Para o atacante Rafael Moura, faltaram vibração e “algo a mais” da equipe nestas partidas.


- A gente precisa, realmente, deste algo a mais. Em três jogos importantes que a gente jogou, os clássicos e o jogo da Libertadores, jogamos um pouquinho abaixo do que a gente pode dar. No primeiro jogo da Libertadores, e na fase classificatória da Primeira Liga e do Estadual, se a gente tinha algum pouco para errar, que a gente conserte o quanto antes, para que nos jogos importantes da Libertadores, Brasileiro e em decisão, a gente conserte. Principalmente, essa questão da vibração - destacou Rafael Moura.

Desde que chegou ao Atlético-MG, o técnico Roger Machado tem cobrado muito dos jogadores a questão tática do time. Segundo Rafael Moura, ele e os companheiros de equipe estão cumprindo as "ordens" do treinador nas atividades na Cidade do Galo. Precisa, agora, atuar da mesma maneira nos jogos.



- O Roger tem pedido muito taticamente e tudo. Mas para fazer bem esta parte tática, você tem colocar um pouquinho mais de coração, um pouquinho mais de alma. Isso a gente está fazendo no dia a dia do trabalho. Precisamos transferir isso para os jogos também.

Reserva de “luxo”



Mesmo reserva, Rafael Moura tem feito boa temporada pelo Atlético-MG: em 11 partidas, ele marcou três gols e distribuiu três assistências. Agora, com a suspensão de Fred por, no mínimo, um jogo, devido à expulsão no clássico contra o Cruzeiro, uma vaga no time será aberta. Perguntado se está preparado para assumir a posição na ausência do camisa 9, o atacante não titubeou e afirmou estar "sempre pronto para ajudar".




- Não só eu, mas todo mundo (está preparado). A gente quer ao máximo agradar ao time e, consequentemente, agradar ao torcedor. Mas vamos aguardar. Ainda não tem julgamento, não tem nada. É um jogo só de suspensão do Fred e não adianta falar do 'se'. Estou mais do que pronto, me dedico todos os dias. Estou sempre pronto para, quando o Roger precisar, poder ajudar.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte