Publicada em 03/04/2017, às 10:11

De xodó a opção para troca, Valdívia perde status no Inter após lesões

Meia-atacante de 22 anos está envolvido pelo Inter em uma negociação com o Corinthians para viabilizar a chegada de Giovanni Augusto ao Beira-Rio em 2017

Valdívia perde espaço e vira "negociável" no Inter (Foto: Ricardo Duarte/Inter)

Ainda falta um acerto referente às bases salariais, mas o Inter se aproxima de efetuar a troca de Valdívia por Giovanni Augusto, por empréstimo, até o final de 2017, numa negociação que denota ainda a queda de status do jogador no elenco colorado. De xodó da torcida, em especial pelos gols decisivos na Libertadores de 2015, o jovem de 22 anos perdeu espaço e protagonismo pelo Colorado após grave lesão no joelho esquerdo. Problema que freou a própria ascensão na carreira, a ponto de torná-lo peça disponível para negócio na temporada atual.

Isso, graças a uma boa dose de esforço do Timão para envolvê-lo na troca. As duas partes conversam sobre a tratativa há duas semanas. Inicialmente, o Colorado relutou e rechaçou ceder Valdívia e Nico López, dois de seus atletas mais valiosos e principais alvos do clube paulista. O Inter até tentou selar a troca por Giovanni Augusto com Seijas, mas dirigentes paulistas e gaúchos fecharam a transação na última sexta-feira à tarde. E o negócio pode ser concretizado oficialmente nesta segunda-feira.

Com isso, o clube gaúcho acabou aceitando liberar o Pokopika, até para fazer prevalecer o desejo de contar com o meia-atacante do Corinthians. Resta apenas a discussão dos termos financeiro com os atletas. Isso não é considerado pelas partes como um obstáculo, já que ambos estão dentro do teto salarial dos clubes. Valdívia, aliás, tem salários mais baixos do que Giovanni, o que fará o Corinthians economizar.

Leia Mais
- Zago indica que Lomba deve ser banco diante do Novo Hamburgo
- Ortiz exalta parceria com Cuesta e alerta para contra-ataque do Novo
- Roberson volta de lesão e Inter ganha nova opção para final com Noia
- Roberson volta aos trabalhos e se credencia para final; Carlos é ausência
- Leia mais notícias sobre Internacional em www.futnet.com.br/internacional

O negócio, inclusive, é visto com bons olhos pelo atleta. Uma fonte próxima a Valdívia vê no Corinthians um cenário próspero para o meia-atacante retomar o bom futebol que o levou à Seleção olímpica duas temporadas atrás. A visibilidade de disputar a Série A pelo Timão também surge como ponto positivo no planejamento de carreira do jogador.

Alçado ao grupo principal em 2013, Valdívia viveu seu melhor momento da carreira em 2015, com protagonismo na campanha que levou o Inter às semifinais da Libertadores, sob o comando de Diego Aguirre. Sempre irreverente, o jovem conseguiu aliar o rendimento em campo com as brincadeiras nas redes sociais, com a #pokopika, a ponto de criar uma linha de roupas e até de comercializar uma peruca nas lojas oficiais do clube. Virou xodó da torcida, em uma temporada com 19 gols em 53 jogos.

O rendimento o levou à Seleção olímpica, mas a recompensa se tornou "ingrata" ao meia-atacante. Valdívia rompeu os ligamentos do joelho esquerdo em um amistoso contra os Estados Unidos, em novembro de 2015, e ficou fora de ação pelo Inter por sete longos meses de recuperação. De volta a combate em junho de 2016, o meia-atacante sucumbiu com o restante da equipe até a queda à Série B. De quebra, um novo problema, dessa vez um entorse no tornozelo, atrapalhou sua sequência em 2017, logo no período de pré-temporada.

Curiosamente, Valdívia foi titular nas duas últimas partidas com Antônio Carlos Zago, com atuações apagadas tanto na vitória por 2 a 1 sobre o São José, quanto na derrota pelo mesmo placar, para o Cruzeiro-RS. O que não diminui, porém, a admiração do treinador por seu futebol. Em entrevista recente, o comandante revelou que recuperar o meia-atacante, a quem chama de "diferenciado" era uma de suas missões na temporada.

E Valdívia, de fato, trabalha duro para voltar a ser decisivo dentro de campo. O jovem é presença frequente nos gramados do CT do Parque Gigante, mesmo após os treinamentos, para trabalhos especiais com os auxiliares Odair Hellmann e Maurício Dulac. Os integrantes da comissão técnica trabalham principalmente a finalização do jogador, em especial com o pé esquerdo, menos usual, para que aprimore o fundamento, uma de suas principais armas.

– O Valdívia de antes da lesão não treinava como eu treino hoje. Eu tenho que me dedicar mais para ter mais músculos e aguentar o jogo todo. Eu estou trabalhando forte. Eu treino sempre. Me falta um gol para dar confiança e eu poder dar alegria à torcida de novo. O que falta (para voltar a render como no passado) é o que setou fazendo. Estava treinando em dois turnos. Falta a questão da força – afirmou o jogador, na última semana.

Contratado do União Rondonópolis, após se destacar na Copa São Paulo de Futebol Júnior, Valdívia fez sua estreia como profissional pelo Inter ainda em 2013. Ao todo, o jovem soma 134 partidas, com 27 gols anotados pelo Colorado desde então.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Internacional