Publicada em 31/03/2017, às 16:43

Zé confirma força máxima para Fla-Flu "desde que não haja risco de lesão"

Treinador rubro-negro não pretende poupar jogadores para última rodada da Taça Rio. Romulo e Mancuello devem ser poupados; zagueiro Réver ainda será avaliado

Zé Ricardo coletiva (Foto: Amanda Kestelman)

No próximo domingo, o Flamengo fecha a fase de grupos da Taça Rio contra o Fluminense, no estádio Kleber Andrade, no Espírito Santo. Dessa vez, porém, o clássico é bem menos badalado que o que decidiu a Taça Guanabara no início de março, já que ambas as equipes estão classificadas e com vantagem garantida nas semifinais do Campeonato Carioca, por terem as duas melhores campanhas do geral.

Mesmo assim, Zé Ricardo optou ir com força máxima para a partida, enquanto o Tricolor irá com o time misto, em razão de compromisso pela Sul-Americana no meio da próxima semana.

- É a nossa intenção sim. Acredito que o Abel tomou a decisão (de escalar o Flu com reservas) em virtude do jogo que eles têm quarta-feira (pela Sul-Americana). Assim como a Libertadores é importante, o Abel deve pensar da mesma forma. Vamos com aquilo que temos de força máxima, desde que não tenha risco de lesão. Todos têm risco de sofrer, mas não vamos propiciar ou facilitar isso no domingo.

Leia Mais
- Estado do Rio avisa que não tem prazo para definir o futuro do Maracanã
- Para próximo jogo do Fla na Liberta, 22 mil ingressos já foram vendidos
- No Fla, jogadores pedem foco no Flu e Vaz aposta em classificação na próxima rodada da Libertadores
- Apesar da derrota, Arão exalta chances criadas e pede concentração
- Leia mais notícias sobre Flamengo em www.futnet.com.br/flamengo

A tendência é de que Romulo e Mancuello sejam poupados. O primeiro segue tratando um desconforto na panturrilha direita, e o segundo o joelho esquerdo. Os dois não foram ao gramado nesta sexta-feira. Réver, que trabalhou separadamente, será avaliado na véspera e só jogará se estiver 100%.

- O Réver trabalhou no campo, não o tempo todo com o grupo, só uma parte, está em um processo diferente. O Romulo e o Mancuello ficaram na academia, amanhã faremos uma última avaliação. Acho difícil os dois jogares. O Réver ainda temos de esperar. Vamos levar para campo quem estiver 100%. Não vale a pena expor em um jogo no qual já temos a classificação garantida - explicou o técnico.

Ederson teve torção, mas retorno está adiantado

Afastado dos campos desde julho por conta de uma lesão e cirurgia no joelho, Ederson já está treinando com o restante do grupo há algumas semanas. Seu retorno está ''adiantando''. No entanto, Zé Ricardo explica que ainda é preciso corrigir alguns fontes e dar o ritmo correto. O jogador teve um torção no tornozelo recentemente, mas já se recuperou.

- O Ederson está um pouco mais adiantado, semana passada teve uma torção no tornozelo, mas se recuperou. Agora é ritmo de jogo, corrigir um pouco a mecânica do movimento, e quando estiver totalmente equilibrado, os dois membros inferiores, damos uma posição para vocês. Quando entrar em campo, não pode ter um risco maior de lesão. O Ederson não é aquele ponta de velocidade, de explosão, é um meia, um pouquinho mais por dentro. Se houver necessidade, tem capacidade de fazer três funções. Ele percebe o que a gente quer, é inteligente, e o ritmo de jogo é que vai dar essa condição a ele - disse Zé.

Confira tópicos da coletiva de Zé Ricardo:

Fla-Flu para cumprir tabela
Acredito que será um Fla-Flu um pouco diferente em relação ao contexto do jogo. Precisa ser feita uma avaliação pela Ferj para a próxima temporada. Chegar classificado nessa fase esvazia um pouco. Mas a gente está encarando o jogo de forma muito séria, vendo mais uma possibilidade de nos colocarmos à prova para a fase final do Carioca e também para a Libertadores no dia 12.

Sobre o clássico
Creio eu que esse clássico tem por essência duas equipes que gostam de jogar, ter a bola, ir ao ataque. Sem dúvida será um jogo decisivo pelo menos no que diz respeito à classificação na Taça Rio. A minha preocupação é que a gente consiga executar bem o que estamos treinando.

Sobre o Fluminense
É a possibilidade de avaliarmos nossa equipe, tem um treinador que dispensa comentários e essa oportunidade de enfrentar uma equipe forte nós temos de aproveitar para preparar a nossa equipe.

Everton Ribeiro vem ou não vem?
Vocês estiveram com o Rodrigo Caetano. Uma consulta, nada mais do que isso. Tem uma característica muito interessante, se encaixaria muito bem. Jogador experiente, vencedor, se vier ao Brasil no meio do ano, o Flamengo seria um bom lugar para ele trabalhar. Mas nem pergunto, continuamos focados aqui, até porque se for o caso, é só no segundo semestre.

Conca, mais uma vez treinando com bola
A gente percebe que a vontade dele, a motivação dele de trabalhar, ajuda o desenvolvimento. Ainda é prematuro fazer qualquer prognóstico, mas é importante que ele se sinta bem para ajudar na recuperação. Para todo mundo é importante ver um atleta da capacidade do Conca se recuperando. Sem pressa, sem pular etapas, não é mais um garoto, para voltar na sua plenitude.

Jogadores que voltaram de compromissos com suas seleções
A gente tem os três (Diego, Trauco e Guerrero) disponíveis para o jogo de domingo e estamos contando com eles para o treino de amanhã.

Programação para reta final do estadual e próximos jogos da Libertadores
Estamos com uma semana bem programada. A semifinal pode ser sábado ou domingo. Se for sábado, há possibilidade de usar todos os atletas. No domingo é um pouco mais arriscado. Mas os atletas estão preparados. A gente jogou a final da Taça GB em um domingo e depois fomos bem contra o San Lorenzo.

Sobre elenco, opções e disputa interna
A gente tem um grupo com 32 atletas sedentos por jogar. A gente tem de ter uma estratégia para cada um deles, é isso que procuramos fazer. Não temos condições de fazer rodízios por muito tempo, partidas cada vez mais decisivas, mas procuro dar chance a todo mundo, observar todo mundo, jogadores que estavam parados estão suportando mais, os meninos bem mais confiantes para jogar. O mais importante é que os atletas entendam que os atletas estão ali em um combate direto pela posição de titular, e com isso elevar toda a nossa performance, o nosso nível. É normal que um ou outro supere seu companheiro de posição. Procuramos ser corretos nas avaliações para que disputem de forma leal.

Sobre bola parada
Bola parada é um momento do jogo que tem de ser sistematicamente trabalhado. Em estatística, 30%, 40% dos gols saem em lances de bola parada. A gente ano passado fez muitos gols e sofremos poucos de bola parada, esse ano começando fazendo muitos também, e sofremos um gol agora na última partida. O Volta Redonda trabalha isso. Vamos continuar trabalhando, isso aí não tem fim.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Flamengo