Publicada em 31/03/2017, às 08:27

Oposição aprova balanço no São Paulo, mas contesta gestão de Leco

Campanha de oposição decide aprovar contas de 2016 do clube, mas envia comissão para cobrar diretoria por valores da dívida e obtidos com patrocínio. Pimenta não vai

Pimenta é o candidato da oposição, que reclama de dados apresentados pela diretoria (Foto: Divulgação)

A candidatura de oposição à presidência do São Paulo decidiu, em reunião nesta quinta-feira, aprovar o balanço de 2016, exposto aos conselheiros nesta noite para votação. Em comunicado, a coordenação da campanha de José Eduardo Mesquita Pimenta diz que os números do balanço são críveis, mas acusam o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva de dizer "inverdades".

Com o aval do grupo, o balanço foi aprovado com facilidade no Conselho Deliberativo.

Ficou decidido que poucos conselheiros da oposição compareceriam à reunião no Morumbi. Apenas uma comissão com alguns nomes, como José Roberto Ópice Blum, Douglas Schwartzmann e Eduardo Alfano, pediria explicações à diretoria sobre alguns pontos que eles consideram distorção de dados. Principalmente os seguintes:

Leia Mais
- Pratto crê em erro da arbitragem ao não anular gol de Jô em Itaquera
- Elenco do São Paulo finaliza testes físicos e inicia treinos com bola
- Pratto comenta briga no Uruguai e cita Felipe Melo: 'Está em todas'
- Pratto admite toque na bola contra o Corinthians, mas critica arbitragem
- Leia mais notícias sobre São Paulo em www.futnet.com.br/saopaulo

– Enquanto a diretoria do São Paulo diz que a dívida caiu 30%, a oposição aponta um aumento de 16%, de R$ 238,5 milhões para R$ 275 milhões. Em seu blog, "na revista Época" Rodrigo Capelo detalhou o endividamento do clube.

– O departamento de marketing fechou apenas R$ 14 milhões de patrocínio para o ano passado, e esse número será menor em 2017, já que não há master na camisa depois que a Prevent Senior deixou o clube, no último mês de março.

Pimenta, candidato da oposição, não compareceu à reunião. Segundo a assessoria de imprensa da campanha, ele está comemorando o aniversário de sua esposa.

A eleição no São Paulo será realizada no dia 18 de abril. Leco, eleito em outubro de 2015 para concluir o mandato de Carlos Miguel Aidar, que renunciou após denúncias de corrupção, vai concorrer com Pimenta. Quem vencer ficará no poder até dezembro de 2020.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - São Paulo