Publicada em 31/03/2017, às 08:43

De salário de Coelho a genro de segurança do presidente, base do Corinthians vive polêmicas

Coelho continuou no clube de volta à posição de auxiliar, mas com o dobro do salário que tinha antes no mesmo cargo

Corinthians vive momento conturbado em suas categorias de base. Fonte: Divulgação

O ambiente interno do Corinthians vem pegando fogo nos últimos dias. Principalmente após a entrada de Carlos Nujud, que assumiu a chefia da base na semana passada. E, desde então, uma verdadeira confusão de cargos e pessoas iniciou-se no departamento de jovens corintiano.

Para começar, após chegar, Nujud queria tirar Dyego Coelho da posição de técnico do sub-20 alvinegro, mas recebeu o veto de Andrés Sanchez, que gosta muito do ex-lateral.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

Acabou que, após o imbróglio, Coelho continuou no clube de volta à posição de auxiliar, mas com o dobro do salário que tinha antes no mesmo cargo. Mais, inclusive, que o novo técnico Pepinho.



Segundo gente do clube, isso deve-se ao fato de que Coelho esteve trabalhando com os profissionais, por isso a justificativa de ter um salário significativamente maior. Como não é possível baixar a remuneração, a opção foi rebaixá-lo de cargo.

Outra polêmica na base foi a chegada de Caio Nascimento, genro de Caveira - uma espécie de guarda-costas do presidente corintiano - na base alvinegra para um cargo de assessor. Ele foi convidado por José Henrique Nadur, primo de Nujud.

Em posição de chefe da base, Nujud tentou vetar a vinda do genro, o que causou revolta no próprio Caveira. Ele trabalha como segurança pessoal do presidente Roberto de Andrade, que vem recebendo críticas pelo trabalho na base

Ocorre que, segundo dito à reportagem, o guarda-costas tinha a promessa de que ganharia um cargo de supervisor do CT, mas recebeu o veto de Roberto de Andrade. A solução, então, foi a indicação de seu genro.

Outra contratação anunciada nos últimos dias foi a de Carlos Auricchio, conhecido como Nenê do Posto, que trabalhou com Vicente Matheus na década de 90 e diretor do futebol profissional entre 2007 e 2008.

Nenê do Posto foi eleito para a diretoria da base ao lado de Jacinto Ribeiro, o Jaça, e do próprio Nujud. Os três são, inclusive, ligados a Andrés Sanchez.

Já nessa quinta-feira, surgiu a informação de que o ex-goleiro Yamada deve ser anunciado como integrante da diretoria da base. Ele é muito amigo de Edu Gaspar, que era funcionário do clube antes da ida à seleção brasileira para trabalhar com Tite.

O ESPN.com.br procurou o Corinthians para um "outro lado" das informações acima. Segue abaixo.

"A diretoria do Departamento de Formação de Atletas do Corinthians esclarece que a adição de Caio Silva ao quadro de assessores foi, simplesmente, a opção por um corintiano fanático que tem muito a contribuir com o departamento. Sobre o auxiliar técnico do sub-20, Dyego Coelho - campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2017 -, ele recebe um salário compatível ao seu cargo. Por último, o departamento ainda está em processo de reformulação e, o mais breve possível, estará conforme a diretoria deseja para que a formação dos nossos atletas siga em crescimento".

Fonte: ESPN
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Cássio responde críticas, lamenta desfalques e se esquiva sobre Walter
- Após Jadson, Corinthians perde Pablo por contusão por até um mês e meio
- Corinthians já vê Cássio na Seleção: as razões do veto à saída de Walter
- Avaí x Corinthians: prováveis times, onde acompanhar, baixas e palpites
- Leia mais notícias sobre Corinthians em www.futnet.com.br/corinthians

Mais sobre - Corinthians