Publicada em 31/03/2017, às 08:23

Com volta da base do Penta, Grêmio retoma confiança na "hora da verdade"

Tricolor começa decisões contra o Veranópolis com praticamente todo o time considerado titular; Maicon e Geromel retornam de lesão para encorpar equipe

Líderes Maicon e Geromel retornam ao time(Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

Aos quatro ventos, o Grêmio demonstra confiança na série de decisões que se avizinha com o mata-mata do Gauchão e as próximas partidas pela fase de grupos da Libertadores. A ideia de crescer na "hora da verdade", conforme definiu o capitão Maicon, é baseada em alguns pontos: a volta de líderes do elenco, a base do Penta da Copa do Brasil refeita, o rendimento da goleada por 4 a 0 sobre o Juventude, a gestão do técnico Renato Gaúcho e o exemplo de 2016.

Mesmo com derrota para o São Paulo-RS na última rodada da primeira fase do Gauchão, na quarta-feira, Renato afirmou que a competição começa, de fato, a partir das quartas de final. Em entrevista coletiva na quinta-feira, foi a vez de Maicon corroborar o discurso. Neste domingo, o Tricolor "estreia" contra o Veranópolis, no Antônio David Farina, às 16h – o jogo da volta, na Arena, ocorre no dia 8.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store

– Agora é a hora da verdade. Se vacilar, já era, não tem como recuperar. Na outra parte tinha como correr atrás – comentou o volante.



Confira abaixo as razões para o torcedor acreditar no Grêmio na "hora da verdade:

Geromel e Maicon

Recuperados de lesões nas costelas e na panturrilha, Geromel e Maicon, respectivamente, estão à disposição de Renato Portaluppi e já treinam com bola desde a semana passada. Só não jogam se o treinador realmente não quiser.

Ambos são, além de expoentes técnicos, líderes do elenco. O volante é o capitão, enquanto o zagueiro é seu "vice", e ambos ajudam a motivar e deixar o time em clima de competição. A concentração é vista como essencial para o Grêmio encarar os jogos como decisões e, assim, render o esperado.

A volta do zagueiro e do volante, aliada ao retorno anterior de Edílson, deixa o Grêmio com praticamente o time que venceu a Copa do Brasil em 2016. Léo Moura é o único jogador do time titular que não estava no elenco campeão. No meio, Bolaños substitui Douglas, lesionado por seis meses devido ao rompimento do ligamento cruzado do joelho esquerdo. Já Ramiro, entre os 11 iniciais desde o ano passado, foi recuado para ser o substituto de Walace, vendido ao Hamburgo, da Alemanha.

– Chegamos em uma fase importante, com todos os jogadores à disposição. Ele (Renato) vai ver a melhor equipe. Quem esteve fora tem que estar preparado, como os outros vêm fazendo até agora – reforça Maicon.

Goleada como parâmetro

O rendimento na goleada por 4 a 0 sobre o Juventude passou a ser a linha de corte para o time titular no ano. O ajuste daquele jogo, com Léo Moura no meio-campo e o recuo de Ramiro para a linha de volantes, seguirá com a volta dos titulares ao time.

– Fizemos um grande jogo. De fora, pude observar bastante coisa que a gente deixou de fazer, que fazia ano passado. E pude passar antes do jogo, cobrar também, porque é nosso papel. Uma das coisas é que a gente estava sem paciência para roubar a bola, girar, até encontrar os espaços – analisou o lateral Edílson.

Preparação e gestão

Com a equipe reserva em campo na última rodada do Gauchão, o Grêmio deu mais sessões de treinos ao time titular. Na quinta-feira, por exemplo, trabalhou finalizações, movimentação e minijogo em campo reduzido, para dar mais intensidade e dinâmica.

Além disso, arrefece a rotina intensa os últimos dias e cria uma espécie de "dívida" dos atletas com ele, por conta do descanso concedido. Na semana passada, Renato tratou também de antecipar a concentração para controlar a alimentação dos atletas e a quantidade de horas dormidas, minimizando o desgaste.

Exemplo e clima mais leve

A fase importante do Gauchão é no mata-mata, com jogos de ida e volta, como na Copa do Brasil do ano passado, quando o Grêmio ergueu o Penta. A campanha do título é exemplo para a série que se inicia – e, torcem os gremistas, não se encerra contra o Veranópolis. Na competição nacional de 2016, o Tricolor saiu em vantagem em todas as fases e só precisou administrar o resultado na segunda partida.

– São dois jogos que tem que ter concentração boa, principalmente na primeira partida. Disputamos o mata-mata do ano passado desta maneira. O grupo está bem ciente, o professor (Renato) frisa isso. É a hora da verdade, não podemos escolher campo, adversário. Tem que respeitar a todos – prega Maicon.

Além disso, o capitão também cita que o time já não carrega mais o peso do jejum de 15 anos sem título. Será a primeira decisão por mata-mata do Tricolor desde o fim da incômoda ausência de taças do clube gaúcho em sua história. A equipe treina nesta sexta e no sábado, quando viaja para a serra gaúcha de olho no confronto com o Veranópolis, às 16 de domingo, no Estádio Antônio David Farina.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Leia Mais
- Com problema no púbis, Bolaños pode passar por cirurgia em dezembro
- De olho em 2018, Grêmio pretende renovar com Léo Moura e Cortez
- Treino do Grêmio tem Paulo Victor como novidade e Arroyo em coletivo de reservas
- Um terço do Campeonato Brasileiro já foi disputado. Veja balanço
- Leia mais notícias sobre Grêmio em www.futnet.com.br/gremio

Mais sobre - Grêmio