Publicada em 24/03/2017, às 08:07

Separados, Ábila e Sobis marcam 60% dos gols; juntos, dupla não vai bem

Apesar de serem grandes referências do Cruzeiro na temporada, dupla que deve ser testada não tem a mesma qualidade de quando jogam separados

Rafael Sobis tem se destacado como homem-gol do time (Foto: Washington Alves/Light Press)

A cabeça de Mano Menezes está movimentada. O treinador se esforça pra desenhar o quarteto ofensivo do Cruzeiro, sem Robinho, que tem uma lesão muscular na coxa direita, e sem Arrascaeta, na seleção do Uruguai. Normalmente, com a presença do meia pela direita, a Raposa jogo com Arrascaeta centralizado, Alisson ou Thiago Neves pela esquerda, e Rafael Sobis no ataque. No entanto, a ausência jogador contundido faz o treinador pensar em “novas velhas” opções, que, em outros momentos, já havia descartado. Mano treinou com Ábila e Sobis juntos, mas o que isso pode significar?

Normalmente é assim, Ábila e Sobis não jogam juntos. O argentino costuma substituir Sobis nas partidas, foi assim contra o Brasília, contra o Atlético-MG, contra o América-MG e nas duas partidas contra o Murici, de Alagoas.

Em dezesseis jogos (cerca de 1440 minutos), realizados pelo Cruzeiro nesta temporada, os dois só atuaram juntos em 110 minutos, o que é um pouco mais que uma partida completa. Ou seja a dupla jogou junta apenas 7% da Raposa na temporada, mas os números também não ajudam.

Leia Mais
- Mano leva T. Neves ao clássico, mas não confirma titularidade no Cruzeiro
- Mano foca em "detalhes importantes" e revela que vai levar Thiago Neves para o clássico
- Robinho participa de treino às vésperas do clássico e é aplaudido por companheiros
- Nepomuceno confirma jogo com torcida única e recebe crítica da Raposa
- Leia mais notícias sobre Cruzeiro em www.futnet.com.br/cruzeiro

Contra o Villa Nova foram 27 minutos lado a lado. Neste recorde, o Cruzeiro marcou com Robinho, de falta sofrida por Arrascaeta, mas também sofreu um gol do Leão. Na partida contra a URT foram 47 minutos juntos, e Ábila balançou as redes, de pênalti. A falta foi assinalada depois de um passe de Sobis para Rafinha, que foi derrubado na área. Contra América TO e Tombense foram 36 minutos juntos (12 e 24, respectivamente), mas nenhum gol saiu.

Fato é que os dois jogadores são as grandes estrelas do elenco disponível para Mano Menezes. Juntos eles marcaram 22 gols – 10 de Ábila e 12 de Sobis –, o que significa quase 60% do número total de gols da equipe celeste na temporada. Vale ressaltar que o atacante argentino atuou – em minutos jogados – praticamente um terço do que jogou Sobis. Mas esses números tratam um panorama do desempenho individual da dupla, que quando está junta não conseguiu ter um sucesso parecido.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Cruzeiro