Publicada em 24/03/2017, às 08:10

Inter marca 80% dos gols do Gauchão no 2º tempo e busca maior equilíbrio

Time tenta apresentar postura igualitária nas duas etapas para evoluir no Gauchão

Nico López pouco fez no primeiro tempo contra o Ypiranga (Foto: Ricardo Duarte / Divulgação, Inter)

Desligado na etapa inicial e envolvente no segundo tempo. Essa é a realidade do Inter na maior parte das partidas da equipe no Gauchão deste ano. A explicação pode estar na demora para se encontrar na partida. O que tem ocorrido, na maioria das vezes, apenas no segundo tempo – período em que o grupo marca 80% dos gols na competição.

Após nove rodadas pela competição, o Colorado balançou as redes em 10 oportunidades. Deste contingente, oito ocorreram após o retorno do intervalo. Com um detalhe: em cinco jogos saiu atrás do placar e o tempo não foi o suficiente para deixar o gramado com os três pontos. Por outro lado, os dois triunfos – 1 a 0 sobre Brasil de Pelotas e São Paulo-RS – foram construídos no primeiro tempo.

O grupo se pergunta também qual o motivo de a equipe entrar tão desligada. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira, Brenner comentou sobre a postura que é empregada na etapa final. E admitiu: o time precisa ser linear ao longo dos 90 minutos se quiser melhorar seu rendimento.

Leia Mais
- Ortiz exalta parceria com Cuesta e alerta para contra-ataque do Novo
- Roberson volta de lesão e Inter ganha nova opção para final com Noia
- Roberson volta aos trabalhos e se credencia para final; Carlos é ausência
- Brenner pode pegar suspensão de 180 dias por agredir árbitro
- Leia mais notícias sobre Internacional em www.futnet.com.br/internacional

- Não há explicação para estarmos melhores no primeiro ou segundo tempo. Temos que entrar com a mesma postura nos dois tempos. Se tivéssemos entrado do mesmo jeito sairíamos com a vitória - analisa.

O discurso do centroavante remete ao empate em 1 a 1 com o Ypiranga. Na última quinta-feira, mais uma vez, o Colorado pouco produziu nos 45 minutos iniciais. Foi para o intervalo com a derrota parcial, gol de Talles Cunha. Para Brenner, o grupo deixou a desejar na etapa inicial. Ao mesmo tempo, tratou de elogiar Antônio Carlos Zago, que promoveu ainda no intervalo as entradas de Roberson e Valdívia nas vagas de Paulão e Nico López.

- O segundo tempo foi a prova. Nosso primeiro tempo foi abaixo, mas o professor Antônio Carlos teve uma visão muito boa. Fomos muito melhores no segundo tempo - decreta.

Em busca de uma postura linear, o Inter tenta a terceira vitória neste final de semana. No domingo, às 16h, o time de Zago enfrenta o São José. A partida será disputada no Estádio do Vale, em Novo Hamburgo.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Internacional