Publicada em 23/03/2017, às 12:36

Milton analisa time na estreia: "Faltou inspiração, mas teve transpiração"

Técnico divide os méritos da vitória sobre o Madureira, nesta quarta-feira, em São Januário, com seu antecessor Cristóvão Borges

Vasco x Madureira (Foto: Jorge Rodrigues/Eleven)

O principal pedido de Milton Mendes para os jogadores do Vasco foi cumprido contra o Madureira. Na avaliação do treinador, estreante na vitória por 1 a 0, o time demonstrou a entrega e o comprometimento necessários para o início de trabalho – um discurso que já encontra eco no elenco. Após o triunfo, o técnico se mostrou satisfeito com a exibição do time, mas ressaltou que a equipe ainda precisa melhorar.

- O que mais gostei foi o que pedi a eles. Comprometimento e entrega. Isso não faltou. Faltou um pouquinho de inspiração, mas teve muita transpiração. Isso me deixou muito feliz, porque é um início, e todo início requer algumas mudanças de comportamento. Não podemos achar que está tudo bem. A equipe já mostrou alguma organização que eu pretendia, tentou fazer muitas coisas que nós trabalhamos, como as bolas paradas, as jogadas ensaiadas. Iniciar ganhando é bom, mas com comprometimento e o torcedor apoiando, é melhor ainda – disse Milton.

Agora, o treinador começa a preparar a equipe para o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo, em Brasília. Milton afirmou que já deve iniciar a análise do rival nesta noite. Na quinta-feira, o elenco do Vasco volta a campo às 17h (de Brasília), em São Januário, para treinar.

Leia Mais
- Douglas garante que Vasco vai para as cabeças no Brasileiro
- Veja o balanço do Vasco este ano e o que precisa evoluir para o Brasileirão
- Em reunião, Eurico discorda da posição do Flamengo: 'Maracanã é do povo'
- Nenê posta foto do time com Milton Mendes e mostra clima descontraído no Vasco
- Leia mais notícias sobre Vasco da Gama em www.futnet.com.br/vasco

Confira outros tópicos da coletiva:

Cristóvão
Queria deixar bem claro que essa vitória também passa pelo Cristóvão. Ele foi treinador até uma semana. Não podemos dizer que estava tudo errado, que ele não valia nada. Cristóvão fez excelente trabalho, mas as coisas não correram bem, e ele pagou a fatura.

Escolha por Yago Pikachu
Optei pelo Yago porque ele tem velocidade, e eu queria que minha equipe fosse um pouco mais veloz. Temos jogadores que encorpam o meio-campo, dão posse de bola, como Nenê e Andrezinho, mas precisávamos de um desafogo, uma saída rápida.

Jejum de gols de Luis Fabiano
Luis é um rapaz extraordinário, dedicado. Ele realmente está querendo fazer o gol. É atacante. Mas falei para ele em tom de brincadeira: “Na hora certa vai aparecer. Quando a gente precisar você vai fazer o gol.” Acredito muito que ele esteja pagando a fatura de estar há um tempo parado. Espero que ele consiga se estabilizar. Ele já está estabilizado, mas a estabilização dele também possa por fazer gol. Para mim, ele trabalhou bem, fez o que eu queria: fez o pivô, protegeu, brigou com os zagueiros, chutou, tentou. Isso é bom.

Montagem do time
Existe processo de formação, assimilação e execução. Cada um deles leva seu tempo. Tentamos fazer algumas coisas e conseguimos. Bolas paradas, fizemos duas e quase deu gol. Tentamos compactação. Fico satisfeito porque os jogadores tentaram. Ainda estamos no primeiro processo, construindo nossas ideias, passando para eles começarem a assimilar. Depois, passa a ser um comportamento, começam a executar aquilo normalmente e tudo fica mais fácil.

Clássico contra o Flamengo
Jogos contra equipes grandes valem três pontos como valem os outros. A importância do jogo é grande porque queremos ganhar. É importante os jogadores entenderem que, mais que o jogo, é preciso que eles estejam fortes e seguros com eles mesmos para poderem desenvolver um bom trabalho. Seja contra o Flamengo, contra o Fluminense ou qualquer outra equipe.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Vasco da Gama