Publicada em 20/03/2017, às 12:55

Valdir exalta empate no clássico: "Muito bom devido às circunstâncias"

Treinador interino do Vasco na partida contra o Botafogo agradece ao presidente Eurico Miranda e diz acreditar que fez um bom trabalho neste domingo

Valdir Bigode comandou o Vasco no clássico deste domingo contra o Botafogo e diz achar que fez um bom trabalho (Foto: André Durão)'

Foi só por essa noite. No intervalo entre a demissão de Cristóvão Borges e a confirmação de Milton Mendes como novo treinador do Vasco, foi Valdir Bigode quem assumiu as rédeas da equipe cruz-maltina. Em entrevista coletiva depois do anúncio feito pelo presidente, o interino fez questão de agradecer a Eurico e também aos companheiros. Na opinião dele, foi feito um bom trabalho, mesmo com as ausências por lesões e a eliminação na Copa do Brasil.

- Queria agradecer a todos, ao presidente e aos companheiros do dia a dia pela oportunidade. Sobre o jogo, sempre que se joga um clássico pode ter oportunidades e vencer. Alguns momentos foram bons para nós, outros para eles. Resultado muito bom devido às circunstâncias da semana. Não tivemos o Luan, Rodrigo, Wagner, Guilherme e Kelvin. Em nenhum momento eu passei isso para os outros, até porque acredito no grupo. Fiquei muito feliz com o resultado. Tive uma oportunidade que muitos querem ter. Na minha cabeça fiz um bom trabalho, até porque criamos muitas oportunidades.

Confira outros trechos da coletiva de Valdir após a partida:

Leia Mais
- Risco de briga! Polícia do RJ alertará autoridades do DF sobre plano de conflito de organizadas de Fla e Vasco
- CBF aprova novo estatuto, que aumenta poder de voto das federações
- Milton analisa time na estreia: "Faltou inspiração, mas teve transpiração"
- Fabuloso falha na busca pelo gol, mas não desanima: "Uma hora entra"
- Leia mais notícias sobre Vasco da Gama em www.futnet.com.br/vasco

Chance de dirigir o Vasco no clássico

- Todo desafio é muito difícil para o interino, mas eu nasci dentro do Vasco, tive essa vantagem. Fui jogador do Vasco por muitos anos. Desde que coloquei o pé no clube como auxiliar, procurei conversar com os jogadores para saber das dores, sofrimentos, necessidades... Tenho certeza das coisas que faço. Todos que estavam no campo hoje tinham minha confiança. Foi uma boa chance. Agradeço muito a Deus. Se a gente tivesse uma vitória, seria brilhante, mas na minha cabeça não mudaria nada. Eu ando baixinho, com serenidade, buscando oportunidades. Já trabalhei em equipes pequenas e fiz trabalhos legais, mas precisa de algo grande. Acho que me saí em um bom nível.

Chegada de Milton Mendes

- Vou voltar para minha função. O que ele quiser tirar de mim, vai ter. Trabalho para o Vasco. Eu sabia que só ficaria para esse jogo.

Luis Fabiano capitão

- Não foi ideia minha, ou de um ou de outro. Foi uma conversa com o pessoal que resolve as coisas. Anderson (Barros), comigo... Queríamos abraçá-lo ainda mais, aí surgiu essa ideia.

Atuação do Fabuloso

- O Luis não jogava há muito tempo, e isso requer treinos e jogos. Achei ele muito bem hoje. Mas se tratando dele, sempre pode dar algo a mais. E vai dar.

Martín vai fazer muita falta quando for para seleção uruguaia?

- Com certeza vai fazer falta. Não que o Jordi não tenha capacidade, mas o Martín está com sequência, tem influência sobre todos. O Jordi é muito novo. Com certeza vai fazer falta, mas o Jordi vai dar conta do recado.

Mais sobre Milton Mendes

- Ele se preparou para vir para cá. Hoje viu um time com espírito do Vasco, de luta, de correr, de não se entregar. Certamente ficou bem satisfeito. Qualidade eles têm, e o Milton vai encontrar isso aqui. Vou aguardar e responder tudo o que ele precisar. A partir de hoje ele vai estar com uma nova cabeça em relação ao time.

Necessidade de reforços

- Aí é uma questão de diretoria. Se precisar da minha ajuda, com certeza vou ajudar. Mas é complicado responder isso agora.

Motivos para o time não ter engrenado

- Na minha opinião, contratamos jogadores para serem titulares, mas eles vieram numa condição ruim. Não jogavam há quatro, cinco meses ou mais. Aqui jogamos muitos jogos. Perderam 15 jogos ou mais. Chega e tem que jogar, tem que resolver. A parte muscular não estava boa, aí o jogador começa a sentir. Acredito que ainda teremos um pouco de dificuldade, apesar de o Carioca ser mais suave do que Copa do Brasil e Brasileiro. Temos vários jogadores no departamento médico, mas em pouco tempo teremos um bom time.

Fonte: GloboEsporte
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Vasco da Gama