Publicada em 17/03/2017, às 09:10

Acordo do Bota com Canales tem mais cinco salários e economia de R$ 2,4 mi

Atacante abre mão de metade de sua remuneração e dos encargos trabalhistas para ser liberado e poder procurar outro clube. Rescisão será assinada nos próximos dias

Até julho, Canales terá recebido do Botafogo R$ 3,9 milhões no total (Foto: Vitor Silva/SSPress/Botafogo)

Botafogo e Canales entraram em consenso na última segunda-feira e vão assinar a rescisão amigável de contrato nos próximos dias. Porém, clube e jogador ainda não vão cortar integralmente as relações. É que no acordo verbal que fizeram, o Alvinegro se comprometeu a pagar salários do centroavante chileno até julho. Em troca, ele abriu mão da remuneração dos últimos cinco meses de vínculo, além dos encargos trabalhistas, para ser liberado imediatamente e poder procurar outro time. O atacante, de 34 anos, segue no Rio de Janeiro para acertar a papelada do desligamento e depois irá retornar ao Chile, onde é ídolo e mora sua família.

Apesar de ainda ter que arcar com mais cinco meses de salário, a diretoria do Botafogo acredita que vai economizar cerca de R$ 2,4 milhões com a rescisão de contrato, entre vencimentos restantes e encargos. Internamente em General Severiano, Canales – que recebe R$ 280 mil, a terceira maior remuneração no clube, só atrás de Jefferson e Montillo – foi visto como uma aposta errada. Contratado em maio do ano passado para ser o camisa 9 – o chileno, na verdade, usa a 19 –, chegou ao clube com uma lesão no pé direito e levou um mês para começar a treinar. Estreou em julho e fez 11 jogos ao todo em 2016, marcando apenas um gol, em cima do Cruzeiro, até lesionar o outro pé e fazer nova cirurgia. Não jogou mais desde então.

Baixe o App oficial do FutNet no Google Play Store ou na Apple App Store



Dirigentes apostaram em melhor desempenho com uma pré-temporada, e Canales pareceu entender o recado: perdeu 7kg e seu percentual de gordura caiu de 20 para 13. Estava "fininho", mas não o suficiente para agradar a comissão técnica, que manifestava seu descontentamento com a parte técnica do atacante para a diretoria. Então, ele ficou fora do Campeonato Carioca, que seria uma espécie de laboratório para sua avaliação, e da Pré-Libertadores. Quase rescindiu na época, mas em uma reunião do presidente Carlos Eduardo Pereira com seu empresário, Marcelo Rodríguez, prometeram inscrevê-lo na fase de grupos, e assim foi feito.

Porém, a gota d'água foi saber que não estava relacionado por Jair Ventura para a partida contra o Estudiantes, da Argentina, na última terça-feira. Era a senha de que não estava nos planos, e por isso Canales pediu para sair. Apesar de toda a economia no caso, a opção de inscrevê-lo na Libertadores, três dias antes de acertarem verbalmente a rescisão, acabou saindo caro. O Botafogo vai jogar toda a fase de grupos com um jogador a menos na lista de 30 que enviou para a Conmebol. Só vai poder substituir o chileno se passar para as oitavas de final.

Fonte: Globoesporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte





Mais sobre - Botafogo