Publicada em 16/03/2017, às 16:52

Sobis atribui excelentes números ao posicionamento e aos companheiros

Atacante, que fez 11 gols em 12 jogos em 2017, destaca rendimento na temporada

Rafael Sobis credita crescimento à mudança de posicionamento (Foto: Light Press)

Os números de Rafael Sobis com a camisa do Cruzeiro, na temporada 2017, são notáveis. O atacante gaúcho fez 11 gols em 12 partidas. Além disso, Sobis tem se dedicado muito nos jogos, com muita movimentação e raça, sendo o principal jogador da equipe este ano. Questionado sobre o crescimento de produção de um ano para o outro, o atacante não titubeia ao dar o motivo para a evolução técnica.

- Posição. Está respondido. Contra o Corinthians começou (na última rodada do Brasileiro do ano passado). Está dando certo. Mas para isso funcionar, tenho que fazer bem o papel. É assim na vida em todas as funções, tentar ajudar da melhor forma. O que eu faço é diferente do que fazia ano passado.

Coincidência ou não, o Cruzeiro não perde desde que Sobis assumiu o comando de ataque. Antes ele jogava como um dos três meias do esquema tático de Mano Menezes, com obrigações defensivas também. Hoje, ele também ajuda a defesa, mas não se desgasta tanto com a marcação. Já são 15 partidas invictas do Cruzeiro, 14 em 2017.

- Isso é bom saber, mas não é porque mudei de posição. Isso é porque o time está bem treinado e bem focado. O clima fica melhor. Ficamos com mais confiança. Não importa contra quem jogamos, estamos fazendo o nosso papel.

Leia Mais
- Fábio critica "haters" e fala sobre sondagem de rival: "Se fosse por dinheiro, já tinha saído"
- No Instagram, Fábio pede 'menos ódio' aos críticos
- Em jogo de reviravoltas, Cruzeiro busca empate no Mineirão e impede Grêmio de ser líder
- Fifa intima Cruzeiro a pagar dívida por Ábila, mas time promete recurso
- Leia mais notícias sobre Cruzeiro em www.futnet.com.br/cruzeiro

Sobre o entrosamento com os companheiros de time, Rafael Sobis afirma que é por causa do talento. Ele, Robinho, Arrascaeta e Thiago Neves estão se dando muito bem em campo. Os outros meias e atacantes, que entram no time com frequência, como Alisson, Élber, Rafinha e Ábila também se entendem quando estão jogando.

- É a qualidade. Quando se tem qualidade, se passa muitos obstáculos e dificuldades, como entrosamento e adaptação ao país, no caso dos que vêm de fora. Todo mundo quer crescer como time, não pensa em você mesmo. Não tem essa história de perder por 2 a 1 e ficar feliz porque fez o gol. Pensamos sempre em vencer, o clube ir bem e todo mundo bem enturmado.

Fonte: GloboEsporte.com
Clique para ver a matéria no site fonte

Mais sobre - Cruzeiro